Mitos econômicos brasileiros: “O Brasil tem a maior carga tributária do mundo” (Só que não!!!) | Luis Antonio 13
Amigos do Facebook
Rádio Transmissão
Vereador - Luis Antônio

Outro dia publiquei aqui um artigo sobre o valor da Gasolina.Mostrei aqui, com dados do Bloomberg, que é falsa a ideia de que temos a gasolina mais cara do mundo. Quem tem dúvidas é só clicar no link e verificar. Tem um outro mito, que diz que a carga tributária do Brasil é a mais alta do mundo. Não é não. Na verdade a grande mídia só defende os interesses das grandes fortunas, que no Brasil pagam, (quando pagam), a menos carga tributária do mundo para grandes fortunas(Duvida? Clica neste link pra ler então). É que no Brasil os Impostos são regressivos, ou seja, recaem mais sobre os mais pobres e menos sobre os mais ricos, diferente de boa parte dos demais países que estão na lista comparativa do artigo doBlog Novas Cartas Persas, que publico abaixo.

Mitos são assim: alguém cria, outros repetem e os demais acreditam e passam adiante. E quanto mais a narrativa é ouvida sem reflexão, mais o mito se torna incontestável e se torna verdade. Também em economia os mitos existem. Mas raramente resistem à frieza dos fatos duros. Assim, o Novas Cartas Persas inaugura a seção “Mitos Econômicos Brasileiros”, que vai procurar justamente estimular a reflexão e o debate para desmistificar o senso comum construído e disseminado no noticiário.

Os primeiros três mitos da seção se referem à famigerada “carga tributária”, eternizada todo ano, em “recordes” registrados pelo diletante “impostômetro”, sempre uma boa pauta para os últimos meses do ano. Não raramente, as notícias do “impostômetro”, data de recolhimento de imposto de renda ou sobre carga tributária vêm também acompanhadas da opinião (sem fundamento) travestida de fato: “a carga tributária do Brasil, que é a mais alta do mundo…”; ou ainda “o brasileiro é quem mais paga imposto no mundo…”. E assim ficamos.

Não é beeeem assim. Estamos longe de ter a maior carga tributária do mundo. Vamos aos fatos. Quando comparamos com os países da OCDE, em geral capazes de prover serviços públicos de qualidade, constatamos que o Brasil não está nem no “top 10” da lista da OCDE:

 

Carga Tributária OCDE e BrasilEm comparação com os países ricos, não temos, nem de longe, a maior carga tributária do mundo: o país está no meio da tabela, é o 15º entre 35 países. Em listas com mais países, como o da Heritage Foundation, o Brasil cai para a 30ª posição.

Devidamente comprovado que a Carga Tributária NÃO É a maior do mundo, os arautos do negativismo dirão então que “não é a maior carga tributária, mas é uma das maiores do mundo”. Já mudou o discurso, mas ainda não explica o verdadeiro conteúdo da Carga Tributária aqui no Brasil e nos demais países. Por exemplo: O Brasil tem um dos maiores Sistemas de Seguridade Social do Mundo (Aposentadoria, Fundo de Garantia,Seguro Desemprego, Auxilio Doença, Salário Maternidade, Sistema Único de Saúde, etc…) Ou seja, boa parte do que aparentemente vai para o Estado, volta para o cidadão. Por isto vai aqui o artigoMitos econômicos brasileiros #2: “O Brasil tem uma carga tributária muito elevada”, também extraido do Blog Novas Conversas Persas.

Segue o Artigo

Os “arautos da carga tributária” mais bem informados podem até reconhecer que é bobagem dizer que o brasileiro é quem mais paga impostos no mundo. Mas, ainda assim, poderão objetar que se trata de uma carga extremamente elevada, semelhante à do Reino Unido (35,2%) e bem maior que a de Canadá (30,7%) e Suíça (28,2%), que, diferentemente do Brasil, têm  excelente provisão de serviços públicos e seguridade social.

Certo. É verdade que muita gente paga muito imposto no Brasil, especialmente os assalariados (essa discussão merece ser feita, mas é outro debate). Mas fazer uma comparação usando apenas um único parâmetro, o de Carga Tributária Bruta (CTB) simplifica as coisas: dá a impressão de que Tributos = Dinheiro do Estado. Na realidade, as coisas não são bem assim. Um debate mal feito leva a políticas mal feitas. O “truque” está no uso disseminado e exclusivo do conceito de CTB, ou seja, total de impostos dividido pelo PIB.

Só que nem todo o dinheiro arrecadado pelo Estado fica com ele. Para fazer uma comparação justa dos países ricos com o Brasil (ou com qualquer país) é preciso ver efetivamente o quanto fica com o Estado.

Acontece que, do total “bruto” recolhido dos impostos pelo Estado, parte é redistribuída diretamente para o cidadão, na forma de transferências obrigatórias (aposentadorias, pensões, assistência e programas de renda mínima) e subsídios (financiamento habitacional, da produção industrial e agrícola, por exemplo), e não entra efetivamente na “caixa preta”.

Ao subtrair essas transferências e subsídios do total de tributos arrecadados pelo poder público temos a “carga tributária líquida” (CTL). O conceito é bastante útil para a análise. A CTL é a quantidade de recursos que efetivamente fica com União, estados e municípios para prover serviços públicos, investir em infraestrutura, defesa, manter a máquina, pagar juros etc.. Comparações com outros países usando esse conceito dão um ponto de partida melhor para debates sobre a eficiência do Estado.

Image

Quando se trabalha com o conceito de CTL, o quadro brasileiro parece bem menos assustador: a carga tributária líquida do Brasil em 2012 vai de 35,85% para 19,82%. Mais: em comparação com o ano passado, a carga tributária líquida na verdade caiu (-1,74%) em relação ao ano anterior. Entre 2002 e 2012, a carga tributária líquida ficou praticamente estável, variando entre 17,28%, em 2003, e 20,17%, em 2011. Na média do período, a CTL ficou em 19,96% ao ano.

Na comparação com outros países, o Brasil “cai pelas tabelas”. No levantamento feito em 2008 (referente a 2007) pelo IPEA, entre 18 países, o país tinha a 10ª maior carga tributária bruta da lista, mas a 13ª carga tributária líquida.

Image

Ainda assim, vendo o Brasil na 13ª posição não parece convincente (já que se esquece que é uma lista com 18 países). Mas quando outros países são incluídos na comparação, a carga tributária no Brasil já não parece ser tão alta. De acordo com dados de 2011 do Banco Mundial, ao se excluir da carga tributária transferências obrigatórias (como pensões e multas), o Brasil aparece na 59ª posição, entre 104 países, ficando muito próximo da média mundial e atrás de países como Chile, Uruguai e África do Sul, além, claro, de muitos países desenvolvidos (clique no gráfico abaixo para ampliar).

Image

Ao contrário de muitos países emergentes, o Brasil tem um sistema universal de aposentadoria, o que é sistematicamente ignorado nos noticiários sobre impostos e “carga tributária”. E mais: diferentemente de muitos desses países e até mesmo dos EUA, o Brasil também possui um sistema público universal e gratuito de saúde, o SUS (embora, claro, não tenha a qualidade do sistema de países europeus) e, diferentemente de países como o Chile, o país oferece educação pública e gratuita, embora a qualidade em geral seja muito ruim. Mas isso explica em grande parte por que a carga continua sendo mais elevada que outros países emergentes que não possuem tal sistema de serviços públicos.

PS: O conceito de Carga Tributária Líquida ajuda, mas tampouco conta toda a história. Para entender um pouco mais esse quadro complexo, leia mais no post Mito Econômico Brasileiro #3

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Mesmo vencendo eleição, Bolsonaro não confia na urna e quer mudar sistema 9 de dezembro de 2018
    Categoria:  Eleições Jornal GGN - Mesmo vencendo a eleição presidencial de 2018 com uma diferença de 10 milhões de votos em relação a Fernando Haddad (PT), Jair Bolsonaro continua colocando a urna eletrônica sob suspeição.Segundo reportagem de O Globo, ele prometeu, num evento organizado por políticos da direita conservadora, que vai pautar em 2019 a […]
  • Morte na Economia do Algoritmo, por George Ciccariello-Maher 9 de dezembro de 2018
    Categoria:  Artigos Por George Ciccariello-MaherEm Outras Palavras A rede de proteção trabalhista em jogo e a uberização do trabalho, a “economia de bicos” em que os trabalhadores perdem seu reconhecimento formal e são vistos como empreendedores independentes, se provavaram fatais para Pablo, quando foi morto durante um serviço de entrega. A empresa terceirizou sua responsabilidade […]
  • Raiva à política e à elite domina atos contra Macron na França, por Jamil Chade 9 de dezembro de 2018
    Categoria:  Europa Foto Jamil Chade Jornal GGN - Jamil Chade, correspondente do Estadão, foi conferir o desenrolar dos protestos contra Macron, na França. A primeira observação de Chade é de que, nas pequenas cidades francesas, o protesto que começou há um mês contra alta na gasolina, hoje tem como mote partidos e o 'poder', sem […]
  • Ocupação 29 de março: O primeiro dia depois de perder tudo 9 de dezembro de 2018
    Categoria:  Direitos humanos Moradores retornam na Ocupação após incêndio buscando sobras da tragédia que destruiu mais de 200 casas / Giorgia Prates do Brasil de Fato Ocupação 29 de março: O primeiro dia depois de perder tudo Moradores relatam como foi voltar para casa e só encontrar escombros Frédi Vasconcelos Curitiba “Perdi tudo, o que […]
  • Dois militantes do MST são assassinados em acampamento na Paraíba 9 de dezembro de 2018
    Categoria:  Movimentos sociais Foto: Sul21   Jornal GGN - O MST, movimento dos trabalhadores rurais sem terra, emitiu nota lamentando a morte de dois militantes - José Bernardo da Silva e Rodrigo Celestino - que foram "brutalmente assassinados por capangas encapuzados e fortemente armados", no acampamento Dom José Maria Pires, em Alhandra, na Paraíba.   […]
  • Alice Munro, o Prêmio Nobel e as voltas que o mundo dá, por Sebastião Nunes 9 de dezembro de 2018
    Categoria:  Literatura Por Sebatião Nunes Os escritores mais revolucionários do século XX – Kafka, Joyce, Proust e Borges – não ganharam o Nobel. Mas a canadense Alice Munro ganhou. Quanto a Kafka, bem que Max Brod tentou. Tendo sido responsável pela fama post-mortem do escritor tcheco, reuniu-se com o comitê de premiação em 3 de […]
  • O princípio constitucional democrático e os 50 anos do AI-5 9 de dezembro de 2018
    Categoria:  Análise   Por Marcus Vinicius Furtado Coêlho   No Conjur A democracia é, a um só tempo, elemento legitimador da constituição e princípio consagrado e tutelado pelo texto constitucional. A intensa participação dos mais variados setores da sociedade no processo constituinte por meio de apresentação das emendas populares é elemento legitimador da Carta Constitucional […]
  • Ministério Público Federal repudia assassinato de trabalhadores sem terra na Paraíba 9 de dezembro de 2018
    A Procuradoria Geral da República (PGR), a Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC) e a Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão na Paraíba (PRDC/PB), órgãos do Ministério Público Federal, manifestaram solidariedade aos familiares de José Bernardo da Silva e … Continue lendo →
  • Bolsonaro anuncia ‘tucano de alma’ no Meio Ambiente 9 de dezembro de 2018
    O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) anunciou neste domingo (9), via Twitter, o ‘tucano de alma’ Ricardo de Aquino Salles para o Ministério do Meio Ambiente. “Comunico a indicação do sr. Ricardo de Aquino Salles para estar à frente do … Continue lendo →
  • França: Protestos dos ‘coletes amarelos’ pedem a renúncia de Macron 9 de dezembro de 2018
    A capital francesa voltou a ser o palco de novos protestos dos coletes amarelos (gilets jaunes), neste sábado (8), que exigiram a renúncia do presidente Emmanuel Macron e medidas fortes contra as desigualdades sociais e o aumento dos impostos. Em … Continue lendo →
  • Haddad assumiria em caso de renúncia de Bolsonaro antes da diplomação 9 de dezembro de 2018
    Neste domingo (9) houve quem defendesse a renúncia de Jair Bolsonaro (PSL), antes da diplomação, para cessar a vergonheira diante do Brasil com o escândalo de corrupção envolvendo a família do capitão reformado do Exército. “Que Deus dê força e … Continue lendo →
  • Público detona programa da Record por homenagem a Eduardo Costa 9 de dezembro de 2018
    Segundo publicação do Catraca Livre, o programa Hora do Faro, da Record TV, preparou neste domingo (9) uma super-homenagem ao cantor sertanejo Eduardo Costa, que está completando 39 anos. O tributo, no entanto, não foi visto com bons olhos. No Twitter, internautas detonaram a emissora e o apresentador Rodrigo Faro pela atitude. A repulsa tem […]
  • Sítio de Atibaia: por que a Justiça desconsidera perícia que desmente acusação contra Lula? Por Joaquim de Carvalho 9 de dezembro de 2018
    Esta reportagem está sendo republicada. Ela faz parte de um crowdfunding do DCM   No último ato da defesa, antes da sentença no processo sobre o sítio de Atibaia, os advogados de Lula pediram uma série de providências, dentre elas duas que se destacaram: querem a resposta dos peritos da Polícia Federal a um parecer […]
  • Fernanda Gentil deixa o Esporte Espetacular na Globo com ukulele e choro de Pelé 9 de dezembro de 2018
    Vinícius Andrade no site Notícias da TV informa que Fernanda Gentil fez a sua despedida do Esporte Espetacular neste domingo (9). Em uma edição comemorativa dos 45 anos do programa da Globo, foram exibidas diversas reportagens especiais, entre elas uma conversa com o compositor da música de abertura do programa, Keith Mansfield, que foi entrevistado por […]