Maria do Rosário: Você pode até não perceber, mas utiliza o SUS todos os dias | Luis Antonio 13
Amigos do Facebook
Rádio Transmissão
Vereador - Luis Antônio

Em artigo publicado nesta sexta-feira (11), na revista “Fórum”, a deputada federal Maria do Rosário (PT/RS) defende o SUS como um patrimônio dos brasileiros e lembra que o sistema faz parte da vida de todos, sem exceção, seja nas campanhas de vacinação, na fiscalização da vigilância sanitária, no pronto-atendimento no caso de acidentes e em muitos outros exemplos

Maria do Rosário: Você pode até não perceber, mas utiliza o SUS todos os dias

 

Vivemos em um tempo em que todos têm opiniões sobre diversos temas. A democracia, a participação social e, mais recentemente, as redes sociais criaram uma cultura de ativismo em que todos se comunicam e manifestam preferências, desgostos, simpatias. Que bom que temos essa liberdade! No entanto, o volume de notícias que circula nesta “sociedade da informação” é tamanho que, por vezes, as opiniões são formuladas e replicadas sobre imagens pré-concebidas que pouco dialogam com a realidade ou geram uma distorção injusta com os objetos de nossos juízos.

As “vítimas” podem ser várias. Uma personalidade pública, seja atriz ou liderança política, sofre com isso cotidianamente, vide os milhares de comentários que recebe diariamente de revistas, blogs, sites, enfim, meios de comunicação em geral. Numa escola, um aluno que é rotulado sob algum signo rapidamente vira alvo de uma série de interpretações. E por aí vai. Poderia dar mil exemplos! Porém, o que mais me chama a atenção são aquelas opiniões que dilaceram as riquezas e boas iniciativas que construímos como nação.

De tempos para cá, perturba-me notadamente os comentários negativos em relação ao Sistema Único de Saúde, o SUS, que é uma das maiores conquistas do processo constituinte brasileiro na redemocratização. Acredito ser muito importante falar sobre isso, afinal, você pode até não perceber, mas você também é um usuário do SUS e se beneficia dele diariamente.

Quem olha o SUS “de fora” pode achar que ele se resume a uma “fila” ou à situação de “superlotação” que, de fato, precisa ser superada. De fato, essa pode ser a visão para o cidadão e aquelas famílias que contratam a saúde através de um plano privado, ou para aqueles que por um motivo ou outro avaliam que não conseguirão acessar o SUS em uma situação necessária.

Mas essa visão precisa ser problematizada, pois geralmente formam a sua opinião através das conhecidas reportagens sobre as deficiências do sistema (sim, são deficiências reais e que devem ser superadas). Mas é um sistema que vai muito além do que nos mostra o olhar superficial, pois é fundado em um princípio irrenunciável: o direito ao atendimento de saúde é um bem associado à vida, portanto de todas as pessoas, em caráter universal e público.

A ousadia brasileira de pensar o SUS é motivação mundial para muitos líderes, entre eles o presidente Barack Obama, que em seu primeiro mandato buscou justamente a criação de um “SUS EUA”. Mas a percepção dos brasileiros e brasileiras sobre o SUS muda completamente, quando observado o critério de usuário ou não do Sistema Único de Saúde. Pesquisa do Ministério da Saúde, realizada em 2012 com mais de 26 mil pessoas, indica que entre os “não usuários” (usuários passivos, que são alcançados apenas pelos serviços de prevenção e promoção à saúde) apenas 25% têm uma percepção positiva do sistema.

No entanto, quem olha “de dentro”, ou seja, quem é usuário ativo do SUS (busca serviços de saúde para avaliação/diagnóstico/terapia), segundo a mesma pesquisa, tem avaliação muito boa, qualificando os procedimentos realizados positivamente e com altas taxas de recomendação do serviço (o usuário recomenda que outros cidadãos utilizem o SUS porque ele é bom e funciona), que atingem 74% para Unidades Básicas de Saúde, 82% para Saúde Bucal e 69% para serviços de urgência.

Como professora que sou, não tenho dúvidas de que, com essa nota, esse “aluno” passa por média! E se alguém acha que é pouco (é evidente que pode e deve, sim, melhorar), sugiro que faça uma pequena consulta perguntando a amigos, por exemplo, se estes recomendariam a sua operadora de telefonia celular.

No entanto, é preciso afirmar que no fundo, quando falamos em SUS, a categoria de “não usuário” inexiste! É uma categoria que serviu para a realização da pesquisa acima referida (aqueles que não utilizaram os serviços de atendimento avançado do SUS nos últimos 12 meses), visto que todos os cidadãos são usuários do sistema, repito, todos os cidadãos!

Quando você se alimenta na rua, você utiliza o SUS. Afinal, quem você acha que é responsável neste país pela vigilância sanitária? Todo o estabelecimento comercial regular que trabalha com alimentação é fiscalizado em sua qualidade, higiene e segurança nutricional. E a água, fundamental para a vida, também conta com o crivo e a vigilância do SUS, tanto as fontes de águas minerais quanto o sistema hidráulico que atende a população.

E as campanhas de vacinação? Qual criança já não foi vacinada? O calendário nacional de vacinação do SUS cobre todas as doenças que atingem os pequenos. Muitos pediatras fazem questão de acalmar pais e mães, que muitas vezes, com a ansiedade gerada por notícias na mídia (cada vez que corre notícia sobre casos isolados, surge uma corrida às clínicas privadas), saem gastando dinheiro para dar aos filhos vacinas que podem até ser desnecessárias.

Todas as vacinas consideradas fundamentais para a imunização dos pequenos e pequenas estão disponíveis nos postos de saúde do SUS. Além de proteger a vida e a saúde da pessoa imunizada, a vacinação protege também toda a sociedade, pois impede a propagação de epidemias, erradicando graves doenças. Além disso, existem campanhas específicas de vacinação do SUS.

E aquelas pessoas que, infelizmente, se envolvem em um acidente de trânsito ou sofrem algum tipo de violência? Já imaginou a enfermagem ou médicos da SAMU descendo da ambulância questionando se a vítima tem saúde privada, para chamar a ambulância do plano de saúde e levar para o hospital que tem convênio? Não, a SAMU atende de imediato e já leva para o hospital público mais próximo para pronto-atendimento! Aliás, outra grande conquista do SUS, a partir do governo Lula, que foi a criação da SAMU. Não faz muito tempo, pouco mais de 10 anos, Brasil afora qualquer acidentado era transportado inadequadamente no transporte que fosse possível, desde viaturas a táxis, enfim, de qualquer jeito.

E os transplantes e tratamento de doenças complexas como o tratamento contra o câncer, por exemplo, quem cobre? Um paciente com sintomas de câncer pode fazer o tratamento com cobertura 100% do SUS, enquanto muitos planos de saúde esbarram em autorizações e burocracias para o início do tratamento. E como todos nós sabemos, quanto mais cedo um paciente do câncer trava uma luta contra essa doença, maior é chance de cura.

Em 2013 foram realizados nada menos que 9,7 milhões de procedimentos de quimioterapia e radioterapia. Tudo via SUS, com um custo altíssimo, mas garantido a todos os brasileiros e brasileiras sem distinção, de forma universal. Que avanço! E pensar que o sistema público de saúde também realiza 19 mil transplantes anuais e mais de 230 mil cirurgias cardíacas. Quantas vidas salvas!

E mais recentemente, iniciativas como o programa Mais Médicos mostram a preocupação do Estado em fortalecer e resolver as lacunas do sistema. Esse programa tem demonstrado resultados positivos em áreas mais vulneráveis, onde a população não tinha acesso ao atendimento básico de saúde. Já são quase 20 mil novos profissionais, atingindo 63 milhões de brasileiros que não tinham atendimento médico. E nas universidades, foram criadas mais de 5 mil novas vagas para a formação de novos médicos brasileiros, com perspectiva de ultrapassar a casa de 11 mil daqui a dois anos.

Mesmo com todas essas conquistas, existe uma preocupação muito clara do Governo Federal em modernizar e qualificar o SUS, especialmente a partir do presidente Lula e, agora, com Dilma. As UPAs (Unidades de Pronto Atendimento 24h) são um exemplo. Outra importante etapa para esse processo pode começar em breve, com o programa Mais Especialidades. A intenção é dar vazão ao principal gargalo no atendimento de saúde da população: o aumento da procura por médicos especialistas encaminhados pelo atendimento básico de saúde. Oftalmologia e ortopedia são naturais candidatas para o início do projeto. Isso reforça que o SUS, esse jovem que recém completou 25 anos, ainda tem muito para crescer e oferecer para o país.

Tem muito ainda que eu gostaria de falar sobre o SUS. Porém, fecho por aqui com o que é principal na visão que me filio: se todos nós somos usuários do SUS, é nossa obrigação também defendê-lo e mantê-lo. Ao longo dos anos, as políticas de saúde vivenciam o forte impacto de custos financeiros cada vez mais altos, fruto de novas tecnologias diagnósticas e terapêuticas. A contínua pesquisa para aprimoramento científico para o atendimento das necessidades humanas e a política global de patentes são aspectos que compõem a necessidade cada vez mais ampla de recursos.

Neste contexto, de atender todas as pessoas, com o máximo de qualidade tecnológica que merecem, é claro que existe um subfinanciamento do Sistema de Saúde no Brasil. Ainda assim, vamos pensar juntos e com um exemplo concreto: diferente de hospitais privados, o SUS é “porta aberta”, o que significa que toda a pessoa que procure atendimento tem o direito de receber cuidados, mesmo que muitas vezes ele ocorra na dificuldade.

Com este texto estou negando as dificuldades? Taxo o SUS como perfeito? Não. Ainda há muito por fazer. Tem muito espaço para a saúde brasileira avançar, muito o que melhorar. Mas nas milhares de opiniões que damos todos os dias, remetendo ao início deste texto, vamos cuidar de preservar este que é um dos maiores patrimônios de todos os brasileiros e brasileiras. O melhor é usarmos nossa energia na busca de soluções que assegurem um sistema cada vez melhor, inclusive na construção de fontes adequadas de financiamento. A saúde é um direito universal e uma conquista e tanto para uma nação, ainda mais num mundo onde a maioria dos países não garante esse direito a seus cidadãos.

Maria do Rosário é deputada federal (PT/RS)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Mesmo vencendo eleição, Bolsonaro não confia na urna e quer mudar sistema 9 de dezembro de 2018
    Categoria:  Eleições Jornal GGN - Mesmo vencendo a eleição presidencial de 2018 com uma diferença de 10 milhões de votos em relação a Fernando Haddad (PT), Jair Bolsonaro continua colocando a urna eletrônica sob suspeição.Segundo reportagem de O Globo, ele prometeu, num evento organizado por políticos da direita conservadora, que vai pautar em 2019 a […]
  • Morte na Economia do Algoritmo, por George Ciccariello-Maher 9 de dezembro de 2018
    Categoria:  Artigos Por George Ciccariello-MaherEm Outras Palavras A rede de proteção trabalhista em jogo e a uberização do trabalho, a “economia de bicos” em que os trabalhadores perdem seu reconhecimento formal e são vistos como empreendedores independentes, se provavaram fatais para Pablo, quando foi morto durante um serviço de entrega. A empresa terceirizou sua responsabilidade […]
  • Raiva à política e à elite domina atos contra Macron na França, por Jamil Chade 9 de dezembro de 2018
    Categoria:  Europa Foto Jamil Chade Jornal GGN - Jamil Chade, correspondente do Estadão, foi conferir o desenrolar dos protestos contra Macron, na França. A primeira observação de Chade é de que, nas pequenas cidades francesas, o protesto que começou há um mês contra alta na gasolina, hoje tem como mote partidos e o 'poder', sem […]
  • Ocupação 29 de março: O primeiro dia depois de perder tudo 9 de dezembro de 2018
    Categoria:  Direitos humanos Moradores retornam na Ocupação após incêndio buscando sobras da tragédia que destruiu mais de 200 casas / Giorgia Prates do Brasil de Fato Ocupação 29 de março: O primeiro dia depois de perder tudo Moradores relatam como foi voltar para casa e só encontrar escombros Frédi Vasconcelos Curitiba “Perdi tudo, o que […]
  • Dois militantes do MST são assassinados em acampamento na Paraíba 9 de dezembro de 2018
    Categoria:  Movimentos sociais Foto: Sul21   Jornal GGN - O MST, movimento dos trabalhadores rurais sem terra, emitiu nota lamentando a morte de dois militantes - José Bernardo da Silva e Rodrigo Celestino - que foram "brutalmente assassinados por capangas encapuzados e fortemente armados", no acampamento Dom José Maria Pires, em Alhandra, na Paraíba.   […]
  • Alice Munro, o Prêmio Nobel e as voltas que o mundo dá, por Sebastião Nunes 9 de dezembro de 2018
    Categoria:  Literatura Por Sebatião Nunes Os escritores mais revolucionários do século XX – Kafka, Joyce, Proust e Borges – não ganharam o Nobel. Mas a canadense Alice Munro ganhou. Quanto a Kafka, bem que Max Brod tentou. Tendo sido responsável pela fama post-mortem do escritor tcheco, reuniu-se com o comitê de premiação em 3 de […]
  • O princípio constitucional democrático e os 50 anos do AI-5 9 de dezembro de 2018
    Categoria:  Análise   Por Marcus Vinicius Furtado Coêlho   No Conjur A democracia é, a um só tempo, elemento legitimador da constituição e princípio consagrado e tutelado pelo texto constitucional. A intensa participação dos mais variados setores da sociedade no processo constituinte por meio de apresentação das emendas populares é elemento legitimador da Carta Constitucional […]
  • Lula envia carta ao MST 8 de dezembro de 2018
    O ex-presidente Lula enviou neste sábado (8) uma carta ao Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra (MST) . No texto, o ex-presidente fala do desejo de estar com seus companheiros e afirmou que o momento difícil que vive o país … Continue lendo →
  • Conselhos aprovam intervenção federal em Roraima 8 de dezembro de 2018
    O Conselho da República e o Conselho de Defesa Nacional, que são vinculados à presidência da República, aprovaram neste sábado (8) a intervenção federal integral no Estado de Roraima até o dia 31 de dezembro. LEIA TAMBÉM: Temer anuncia intervenção … Continue lendo →
  • Mourão sobre R$1,2 milhão de assessor do filho de Bolsonaro: ‘Ele precisa dizer de onde saiu este dinheiro’ 8 de dezembro de 2018
    O vice-presidente eleito general Hamilton Mourão (PRTB) afirmou que Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro (PSL), precisa explicar a origem do dinheiro (R$ 1,2 milhão) que movimentou entre 2016 e 2017. A afirmação foi feita neste sábado (8) para a … Continue lendo →
  • Moradores suspeitam de ação criminosa de PM em incêndio no Paraná 8 de dezembro de 2018
    Moradores da Ocupação 29 de Março, na região Sul de Curitiba, suspeitam de ação criminosa da PM em incêndio que destruiu cerca de 300 barracos na madrugada deste sábado (8). Segundo relatos ainda não confirmados pelo poder público, dois moradores … Continue lendo →