dezembro | 2014 | Luis Antonio 13



Prev
Next
Amigos do Facebook
Rádio Transmissão
Vereador - Luis Antônio

Arquivo do mês: dezembro 2014

doleiro1


 

A mídia escondeu a verdeira história do doleiro.

 

Alberto Youssef foi condenado em 2004, pelo mesmo juiz Sergio Moro, do Paraná, por corrupção.

 

Segundo a Ação Penal movida contra Youssef, ele obteve um empréstimo de US$ 1,5 milhão, em 1998, numa agência do Banestado, banco público do Paraná, nas Ilhas Cayman.

 

No processo de delação premiada da época, Youssef confessou que internou o dinheiro no Brasil de forma ilegal, ao invés de fazê-lo via Banco Central.

 

Mas negou que tenha pago propina a um executivo do Banestado. Segundo o doleiro, a condição imposta para o Banestado liberar o dinheiro para sua empresa, a Jabur Toyopar, era fazer uma doação para a campanha de Jaime Lerner, do então PFL (hoje DEM), aliado do PSDB, para o governo do Paraná.

Doação “não-contabilizada”. Caixa 2.

 

A mídia nunca deu destaque a essa informação.

 

Alberto Youssef operava para tucanos e demos do Paraná desde a primeira eleição de Jaime Lerner, em 1994. Assim como operou também para FHC e Serra em 1994 e 1998.

 

O Banestado, um dos bancos mais sólidos do sistema financeiro do país, foi saqueado pelos tucanos na década de 90. Após devastarem as finanças da instituição, o PSDB, que governava o país, iniciou um processo de privatização cheio de fraudes.

 

O Banestado foi então vendido para o Itaú, pela bagatela de R$ 1,6 bilhão.

 

Existem acusações de que a privatização do Banestado gerou prejuízo de R$ 42 bilhões aos cofres públicos.

 

Mas tucanos podem tudo.

 

Depois de tanta roubalheira, o único condenado foi o mordomo, o doleiro Alberto Youssef, um homem de origem simples que ficou milionário operando para a elite tucana.

Mas a elite tucana é magnânima, e o juiz Sérgio Moro absolve o doleiro após um ridículo acordo de delação premiada, que não resultou em nada.

Este é o Sérgio Moro que a mídia chama de “duro”.

 

Em agosto deste ano, Youssef é preso outra vez e Moro cancela o acordo anterior de delação premiada do doleiro.

 

O juiz e a elite tucana tinham outros planos para o doleiro. Ele poderia ser útil numa operação midiática para derrotar Dilma nas eleições de 2014.

 

O advogado do doleiro, Antônio Augusto Figueiredo Basto, tem profundas conexões com o PSDB. Foi membro do conselho da Sanepar, estatal paranaese que cuida do saneamento do estado, e foi também advogado de doleiros tucanos envolvidos no trensalão.

 

Os escândalos de corrupção no PSDB paranaense envolvem mais nomes. Em 2001, a Procuradoria de Maringá acusou o prefeito tucano Jairo Gioanoto de desvios superiores a R$ 100 milhões, feitos durante o período de 1997 a 2000. Em valores atualizados, esse montante aproxima-se de R$ 1 bilhão.

 

E quem aparece nesse escândalo, mais uma vez?

 

Ele mesmo: Alberto Youssef.

 

Trecho de matéria publicada na Folha, em 4 de março de 2001:

 

“Um dos nomes sob investigação, o ex-secretário da Fazenda de Maringá, Luís Antônio Paolicchi, apontado como pivô do esquema de corrupção, afirmou, em depoimento à Justiça, que as campanhas de políticos do Paraná, como o governador Jaime Lerner (PFL) e o senador Álvaro Dias (PSDB), foram beneficiadas com dinheiro desviado dos cofres públicos, em operações que teriam sido comandadas pelo ex-prefeito Gianoto.

 

A campanha em questão foi a de 1998. “A pessoa que coordenava (o comitê de Lerner em Maringá) era o senhor João Carvalho (Pinto, atual chefe do Núcleo Regional da Secretaria Estadual de Agricultura), que sempre vinha ao meu gabinete e pegava recursos, em dinheiro”, afirmou Paolicchi, que não revelou quanto teria destinado à campanha do governador -o qual não saberia diretamente do esquema, segundo ele.

 

Quanto a Dias, o ex-secretário disse que Gianoto determinou o pagamento, “com recursos da prefeitura”, do fretamento de um jatinho do doleiro Alberto Youssef, que teria sido usado pelo senador durante a campanha.

 

“O prefeito (Gianoto) chamou o Alberto Youssef e pediu para deixar um avião à disposição do senador. E depois, quando acabou a campanha, eu até levei um susto quando veio a conta para pagar. (…) Eu me lembro que paguei, pelo táxi aéreo, duzentos e tantos mil reais na época”, afirmou.”

 

Todas as histórias que envolvem o doleiro Alberto Youssef e seus advogados desembocam em escândalos tucanos: Banestado, caixa 2 de campanhas demotucanas na década de 90, desvios em Maringá, trensalão.

 

Todavia, na última hora, os tucanos e a mídia levaram um susto.

 

Houve uma fissura na conspirata para prejudicar Dilma, quando apareceu um dos “testas de ferro” do doleiro, o senhor Leonardo Meirelles.

 

Em depoimento à Justiça, Meirelles acusou Youssef de operar para o PSDB, e de ter como “padrinho” um político de oposição do estado do Paraná, praticando nomeando Álvaro Dias (e confirmando o depoimento do secretário da fazenda de Maringá, citado acima).

 

Assim que a informação do testa de ferro de Youssef veio à tôna, o advogado do doleiro, Antônio Augusto Figueiredo Basto, iniciou uma operação midiática desesperada para negar que seu cliente tivesse operado para o PSDB. A mídia seguiu-lhe os passos, tentando neutralizar uma informação que poderia atrapalhar os planos de usar o doleiro para derrotar Dilma.

 

Em segundos, todos os jornais deram um destaque desmedido à “negativa” de Youssef de ter operado para o PSDB.

 

Só que não tem sentido.

 

A própria defesa do doleiro, em suas argumentações contra a condenação imposta por Sérgio Moro, pela Ação Penal de 2004, extinta e retomada agora, diz que os US$ 1,5 milhão que ele internou no país em 1998 foram destinados à campanha de Jaime Lerner, candidato demotucano ao governo do Paraná.

Como assim ele não operou para o PSDB?

 

Youssef operou a vida inteira para o PSDB! Era a sua especialidade!

Tentar pregar uma estrelinha do PT no peito do doleiro não vai colar.

Alberto Youssef é um produto 100% tucano.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Mesmo vencendo eleição, Bolsonaro não confia na urna e quer mudar sistema 9 de dezembro de 2018
    Categoria:  Eleições Jornal GGN - Mesmo vencendo a eleição presidencial de 2018 com uma diferença de 10 milhões de votos em relação a Fernando Haddad (PT), Jair Bolsonaro continua colocando a urna eletrônica sob suspeição.Segundo reportagem de O Globo, ele prometeu, num evento organizado por políticos da direita conservadora, que vai pautar em 2019 a […]
  • Morte na Economia do Algoritmo, por George Ciccariello-Maher 9 de dezembro de 2018
    Categoria:  Artigos Por George Ciccariello-MaherEm Outras Palavras A rede de proteção trabalhista em jogo e a uberização do trabalho, a “economia de bicos” em que os trabalhadores perdem seu reconhecimento formal e são vistos como empreendedores independentes, se provavaram fatais para Pablo, quando foi morto durante um serviço de entrega. A empresa terceirizou sua responsabilidade […]
  • Raiva à política e à elite domina atos contra Macron na França, por Jamil Chade 9 de dezembro de 2018
    Categoria:  Europa Foto Jamil Chade Jornal GGN - Jamil Chade, correspondente do Estadão, foi conferir o desenrolar dos protestos contra Macron, na França. A primeira observação de Chade é de que, nas pequenas cidades francesas, o protesto que começou há um mês contra alta na gasolina, hoje tem como mote partidos e o 'poder', sem […]
  • Ocupação 29 de março: O primeiro dia depois de perder tudo 9 de dezembro de 2018
    Categoria:  Direitos humanos Moradores retornam na Ocupação após incêndio buscando sobras da tragédia que destruiu mais de 200 casas / Giorgia Prates do Brasil de Fato Ocupação 29 de março: O primeiro dia depois de perder tudo Moradores relatam como foi voltar para casa e só encontrar escombros Frédi Vasconcelos Curitiba “Perdi tudo, o que […]
  • Dois militantes do MST são assassinados em acampamento na Paraíba 9 de dezembro de 2018
    Categoria:  Movimentos sociais Foto: Sul21   Jornal GGN - O MST, movimento dos trabalhadores rurais sem terra, emitiu nota lamentando a morte de dois militantes - José Bernardo da Silva e Rodrigo Celestino - que foram "brutalmente assassinados por capangas encapuzados e fortemente armados", no acampamento Dom José Maria Pires, em Alhandra, na Paraíba.   […]
  • Alice Munro, o Prêmio Nobel e as voltas que o mundo dá, por Sebastião Nunes 9 de dezembro de 2018
    Categoria:  Literatura Por Sebatião Nunes Os escritores mais revolucionários do século XX – Kafka, Joyce, Proust e Borges – não ganharam o Nobel. Mas a canadense Alice Munro ganhou. Quanto a Kafka, bem que Max Brod tentou. Tendo sido responsável pela fama post-mortem do escritor tcheco, reuniu-se com o comitê de premiação em 3 de […]
  • O princípio constitucional democrático e os 50 anos do AI-5 9 de dezembro de 2018
    Categoria:  Análise   Por Marcus Vinicius Furtado Coêlho   No Conjur A democracia é, a um só tempo, elemento legitimador da constituição e princípio consagrado e tutelado pelo texto constitucional. A intensa participação dos mais variados setores da sociedade no processo constituinte por meio de apresentação das emendas populares é elemento legitimador da Carta Constitucional […]
  • Lula envia carta ao MST 8 de dezembro de 2018
    O ex-presidente Lula enviou neste sábado (8) uma carta ao Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra (MST) . No texto, o ex-presidente fala do desejo de estar com seus companheiros e afirmou que o momento difícil que vive o país … Continue lendo →
  • Conselhos aprovam intervenção federal em Roraima 8 de dezembro de 2018
    O Conselho da República e o Conselho de Defesa Nacional, que são vinculados à presidência da República, aprovaram neste sábado (8) a intervenção federal integral no Estado de Roraima até o dia 31 de dezembro. LEIA TAMBÉM: Temer anuncia intervenção … Continue lendo →
  • Mourão sobre R$1,2 milhão de assessor do filho de Bolsonaro: ‘Ele precisa dizer de onde saiu este dinheiro’ 8 de dezembro de 2018
    O vice-presidente eleito general Hamilton Mourão (PRTB) afirmou que Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro (PSL), precisa explicar a origem do dinheiro (R$ 1,2 milhão) que movimentou entre 2016 e 2017. A afirmação foi feita neste sábado (8) para a … Continue lendo →
  • Moradores suspeitam de ação criminosa de PM em incêndio no Paraná 8 de dezembro de 2018
    Moradores da Ocupação 29 de Março, na região Sul de Curitiba, suspeitam de ação criminosa da PM em incêndio que destruiu cerca de 300 barracos na madrugada deste sábado (8). Segundo relatos ainda não confirmados pelo poder público, dois moradores … Continue lendo →