2014 Agosto | Luis Antonio 13



Prev
Next
Amigos do Facebook
Rádio Transmissão
Vereador - Luis Antônio
Acontecendo


Arquivo do mês: Agosto 2014

O Entrevistado desta quarta-feira (27), no Programa “Câmara em Debate”, pela TV Paraíso, Canal 13 – SBT foi o Vereador Dr. Luis Antônio (PT), que foi felicitado, no início do Programa, pelo apresentador, pela passagem de sua data natalícia.

Dr. Luis Antônio (PT) discorreu sobre a sua luta em defesa da classe operária, principalmente em relação ao funcionalismo público municipal, o que lhe impulsionou a ingressar, primeiramente, nas lutas sindicais, colaborando na implantação, modernização e direção do Sindicato dos Servidores Públicos do Município de Paraíso – SIMPA, para, daí então, entrar na politica pública partidária, mas que, na condição de funcionário público municipal sindicalizado, participou na noite da última terça-feira (26), da Assembleia Geral daquele Sindicato, onde defendeu o direito ao ganho sobre insalubridade e a progressão dos funcionários do município.

Em relação à área da saúde, que também é uma de suas bandeiras de luta, o Vereador foi enfático em afirmar que “a saúde é uma responsabilidade do Estado como um todo, compreendendo as três esferas de Governo, Federal, Estadual e Municipal, mas que em Paraíso o Governo Estadual deixou muito a desejar, em relação à qualidade no atendimento do Hospital de Referência de Paraíso – HRP, onde até medicamentos são escassos e a infraestrutura básica para os profissionais realizarem seus serviços, inexiste”.

No final o Parlamentar garantiu que estará juntamente com os seus colegas de bancada, visitando o HRP, colhendo subsídios para cobrar das autoridades competentes, melhorias significativas para o atendimento daquela unidade de saúde.

benayon

Comunicado aos co-filiados do PSB, amigos e leitores,

Há alguns anos, sou filiado ao PSB, em que ingressei, tendo tido a honra de ter tido minha ficha assinada pelo competente e digno Carlos Siqueira.

Sem solidariedade social e sem aspiração de independência nacional, socialismo é apenas uma palavra falsa.

Assim, diante do fato de que o PSB adotou a candidatura da Sra. Marina Silva à presidência da República, declaro que não votarei na candidata do partido.

Não estamos, senão formalmente, em regime democrático, haja vista a urna eletrônica absolutamente inconfiável, e  a influência nas eleições do poder econômico concentrado e da desinformação em massa, a cargo da grande mídia, a serviço dos interesses imperiais. Meu voto, pois, tem peso ínfimo.

Mas para mim é importante declará-lo.

No 2º Turno, entre Dilma e Marina, sua provável concorrente, já que Aécio é fraco eleitoralmente e deverá ser preterido pelos imperiais, GAFE, PIG etc., penso que o PSB deveria apoiar a atual presidente, mediante compromissos de eliminação das políticas de juros altos, subsídios às montadoras estrangeiras e a outros concentradores, abandonar o tripé do FMI, intensificar as relações com os BRICS e com o MERCOSUL.

Devo concitar outros membros do PSB a pedir às lideranças do partido não persistirem no grave erro de se terem associado a uma certa rede ou teia, comprometida com interesses contrários aos de nosso País.

Errou o falecido Eduardo Campos ao entrar nessa associação, como erraram os que o acompanharam nesse passo.

Pior ainda foi, após a morte dele, apoiar a candidatura da Sra. Marina, sob pressão dos elementos mais entreguistas da coligação, como os Srs. Roberto Freire, Jarbas Vasconcellos et alli.

Mas o importante e recomendável é reconhecer os erros e fazer o possível para desfazê-los e/ou reduzir-lhes as consequências.

A prioridade então é dissociar-se da Rede e de D. Marina, pois essa aliança significa o fim do PSB como partido e sua identificação como mais uma sigla de aluguel.

Muitos estão ironizando, ao dizerem em relação a D. Marina: “Basta de intermediários. Neca Setúbal para presidente”.


Esses estão alienados da dura realidade, que é pior, pois a oligarquia dos grandes bancos locais é apenas subalterna dos interesses imperiais, tal como seus economistas, da mesma laia que os dos tucanos e ligados ao mega-entreguista FHC. Os críticos, se mais inteirados dos fatos e mais corajosos, deveriam dizer:

“Basta de intermediários. George Soros (ou o príncipe Charles, da família real britânica,  Reino Unido) para Pró-Cônsul do império.”


Saudações a todos e todas,


Adriano Benayon*

*Doutor em Economia, pela Universidade de Hamburgo, Bacharel em Direito, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Diplomado no Curso de Altos Estudos do Instituto Rio Branco, Itamaraty. Diplomata de carreira, postos na Holanda, Paraguai, Bulgária, Alemanha, Estados Unidos e México.

Quem diria, a revisteca da Abril se dizendo contrária à baixaria na campanha eleitoral e aos “ataques” que Marina Silva tem sofrido (COITADINHA).  A revisteca jogou a toalha e abandonou a candidatura de Aécio Neves, caindo de AMORES agora por Marina, na esperança de que o PT / DILMA sejam derrotados. Como sempre, para atacar o PT / DILMA / LULA, a revisteca distorce os fatos e atropela a verdade.  Foi MARINA quem começou a bater, dando sequência a série de golpes BAIXOS e pelas costas, que o falecido Eduardo Campos já vinha aplicando. Do que acusam Dilma ? De dizer que Marina quer dar INDEPENDÊNCIA ao Banco Central ? Ou de advertir que a proposta de TIRAR os BANCOS PÚBLICOS, entre eles o BNDES, e colocar em seu lugar os BANCOS PRIVADOS (ITAÚ POR EXEMPLO) na função de conceder CRÉDITO imobiliário, familiar e para as empresas brasileiras, vai promover o desmonte de vários programas em andamento ? Por acaso foi Dilma quem inventou e noticiou que MARINA era a favor do casamento entre pessoas do mesmo sexo, e que mudou de ideia logo após o primeiro ROSNAR de um sujeito que se intitula pastor ?QUEM anda por aí dizendo que MARINA era CONTRA A ANISTIA para TORTURADORES, e agora passou a ser a favor ? Foi notícia em todos os jornais, e não foi o PT ou Dilma quem inventaram. O PROGRAMA DO PSB trouxe várias das ideias e propostas da candidata MARINA SILVA. É com base naquilo que ali está escrito ou no que ela tem dito agora ou disse no passado, e fazendo uma análise das suas inconsistências, incoerências e contradições, que o DEBATE tem sido travado, e legitimamente explorado na campanha eleitoral. O CHORO DE MARINA é de CROCODILO, não encontra amparo na realidade, visto que, foi ela quem começou a BATER para tentar crescer. É justo que receba o troco da adversária, para que caia. Quanto a revisteca, não tem MORAL para falar em jogo SUJO, visto que essa é a única forma que sabe jogar. NÃO HÁ na imprensa brasileira, nenhum veículo de comunicação, tão PORCO, tão MENTIROSO e TENDENCIOSO, TÃO EDITORIALMENTE DESONESTO quanto a revisteca VEJA. Só quem não conhece o comportamento de boa parte dos seus colunistas e “homens” de redação, é que se ilude com esse apoio à MARINA SILVA. Estivesse ela disputando com Aécio Neves, e aí sim, MARINA ia ter motivos reais para chorar LÁGRIMAS DE VERDADE.

 

Aécio Neves (PSDB) foi um desastre do começo ao fim na entrevista ao Jornal Nacional. Não respondeu o que foi perguntado. Embromou, enrolou muito. Quando respondeu, não convenceu e até mentiu.

Projeto “Proposta Zero”

Mas nada define melhor a entrevista do que o ocorrido na última pergunta. Patrícia Poeta colocou a bola na marca do penalti para Aécio chutar e perguntou: “Candidato, nosso tempo está acabando. Última pergunta. Dos projetos que o senhor tem para o país, quais seriam os prioritários?”

Aécio conseguiu a façanha de não citar um único projeto. Zero! Falou um blá-blá-blá danado sem dizer nenhum projeto. Pirateou o que Dilma fala sobre governar para quem mais precisa e, em vez de oferecer pelo menos um projeto aos brasileiros, se limitou a ser pidão: pediu voto nele.

Sobre as outras perguntas, o Jornal Nacional deu um calor, fazendo perguntas incômodas, mas não se iludam. Tiveram duas funções:

1) Tentar melhorar a imagem por causa do “manchetômetro” – um estudo da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, mostrando quanto o Jornal Nacional usa o noticiário para fazer campanha anti-Dilma e a favor de Aécio.

2) Vacina: Estas perguntas feitas no Jornal Nacional seriam feitas em debates e em outras entrevistas de qualquer jeito. Logo já vai amaciando o assunto.

Para Aécio baixo IDH de Minas é culpa dos pobres que “atrapalharam” os números do governo dele.

Em um momento Patrícia Poeta perguntou: Candidato, como é que o senhor explica o desempenho no campo social de um estado rico como Minas Gerais que, hoje, sustenta o menor Índice de Desenvolvimento Humano de toda a Região Sudeste e ocupa a nona posição no ranking nacional, entre todos os estados brasileiros. Estava em oitava posição anos atrás e agora está em nona posição.

Nesta resposta Aécio foi desastroso. Em um trecho da resposta soltou essa pérola para explicar a queda relativa do IDH: “… Minas tem no nosso território, incrustado no nosso território, o Vale do Jequitinhonha, o norte mineiro, o Mucuri, que é uma região, que, historicamente, tem um IDH menor do que a média do Nordeste… ”

Ora, quer dizer então que são as regiões pobres de Minas que ele deixou para trás quando foi governador é que “atrapalham” o IDH? É a velha mania dos tucanos dizerem que “o povo” é que atrapalha eles!

E quer dizer, então, que o Nordeste brasileiro evoluiu mais do que as regiões mais pobres de Minas? Que bom que Nordeste se desenvolva, mas a população mais pobre de Minas também merecia um governador que tivesse feito o dever de casa e olhado mais para eles, em vez de construir aeroportos para a própria família do Aécio.

Aliás um caso típico é a cidade de Montezuma, de baixo IDH, onde Aécio herdou uma fazenda apropriada do Estado de Minas, e construiu outro aeroporto lá, enquanto só 27% dos domicílios tinham esgoto.

Outro deslize na resposta foi dizer que uma das causas foi Minas ter um momento ruim em atividades econômicas como minério e o café. Ora, então quando é em Minas, a crise internacional serve para justificar queda no crescimento, mas quando é no Brasil não serve?

Aeroporto

Bonner perguntou: (…) o senhor construiu um aeroporto no município de Cláudio, a sua família tem uma fazenda a seis quilômetros desse aeroporto e a pista foi construída ao lado de terras do seu tio-avô. O senhor já disse diversas vezes que não houve nenhuma irregularidade nisso, que as terras eram públicas, porque já tinham sido desapropriadas, inclusive a sua família discorda do valor arbitrado para essa desapropriação, contesta esse valor, considera injusto, está na Justiça. O senhor disse também que o aeroporto foi criado pelo senhor para beneficiar a economia da região. E desde que esse assunto surgiu, o único erro que o senhor admite ter cometido, eu vou ler as suas palavras, o senhor disse que ‘viu aquela obra com os olhos da comunidade local e não da forma como a sociedade a veria à distância’. Eu pergunto: mesmo aos olhos da comunidade local, candidato, o senhor considera republicano construir um aeroporto que poderia ser visto como um benefício para a sua família, no mínimo, por valorizar as terras dela?

Aécio respondeu o blá-blá-blá já dito nas notas oficiais. Não Convenceu.

Bonner perguntou: Mas candidato, essa questão produziu muita polêmica porque, imediatamente, levantou-se uma suspeita sobre o benefício a sua família, que o senhor diz não ter havido. E o senhor tem algum tipo de constrangimento ético pelo fato de ter utilizado essa pista quando visitou a fazenda da sua família?

Aécio respondeu na maior cara de pau: Não, não tenho, até porque não sabia que essa pista não estava homologada, aliás essa é uma questão.

Bonner perguntou: Perdão, mas não se trata da questão da homologação. A homologação é uma questão burocrática. A minha pergunta é sobre usar um aeroporto que foi construído pelo estado de Minas Gerais para visitar uma fazenda sua. Isso não lhe constrange?

Aécio usou toda sua cara-de-pau para responder que é uma fazenda que está na minha família há 150 anos, como se isso justificasse contruir um aeroporto em benefício próprio. Para piorar ainda disse que é um sítio de férias, para passear, que ninguém está fazendo um negócio ali. Ora, quer dizer então que para passear vale construir um aeroporto praticamente para uso particular com dinheiro público?

Por fim, Aécio disse uma mentira: Um que Cláudio “precisava” desse aeroporto.

Observem que Bonner aliviou ao não citar existir o aeroporto de Divinópolis ao lado que atende a cidade de Cláudio muito bem. Também aliviou ao não tocar no assunto do aeroporto de Montezuma e da fazenda tomada do Estado de Minas por um processo rumoroso de usucapião.

Outra mentira foi dizer que a ANAC é a culpada pela não homologação do aeroporto. Emnota oficial da ANAC Aécio já foi desmentido, pois há pendência do Governo de Minas, que é providenciar parecer do Comando da Aeronáutica.

Medidas amargas

Na primeira pegunta William Bonner disse que, segundo economistas ligados aos demotucanos, medidas como corte de ministérios e choque de gestão não bastam, que seria preciso cortes profundos de gastos e eliminar a defasagem de tarifas públicas como preço da gasolina e energia elétrica.

Reparem que Bonner aliviou ao não dizer que o que os economistas demotucanos pedem são cortes nos gastos sociais como o Bolsa Família, arrocho nas aposentadorias, nos salários do funcionalismo civil e militar, demissões, corte de verbas na educação, na saúde, corte nos subsídios ao Minha Casa, Minha Vida e à geração de empregos através do BNDES. Bonner aliviou também ao falar em “defasagem de tarifas”, em vez de aumento na conta de luz. E aliviou ao não questionar por que a Cemig (estatal de eletricidade mineira sob comando tucano) pediu aumentos muito acima do que a ANEEL considerou razoável? Por que luta na justiça para subir o preço da energia nas hidrelétricas antigas já depreciadas? Por que prioriza distribuir mais lucros aos acionistas do que baixar a conta de luz? Por que a Cemig estoca energia para vender mais caro no mercado especulativo, o que gera aumento na conta de luz? E por que a Cemig tem planos de investir na Colômbia com as sobras de caixa, em vez de baixar a tarifa?

Aécio respondeu outra coisa, criticando o baixo crescimento e repetindo as críticas ao número de ministérios. Falou também que “enxugará o estado”, um termo que soa como música para os banqueiros neoliberais, mas sempre foi um desastre para a classe média e para os mais pobres, como ocorreu no governo FHC.

Bonner perguntou: Mas o senhor não respondeu a minha pergunta. A minha pergunta é se entre essas necessidades se inclui a redução dos gastos públicos e o fim dessa defasagem das tarifas de energia e gasolina.

Aécio respondeu: Não, eu respondo com absoluta clareza. Começando do final. No meu governo vai haver previsibilidade em relação a essas tarifas e em todas as medidas do governo. Ninguém espere no governo Aécio Neves o pacote A, o PAC disso, o PAC daquilo. Ou algum plano mirabolante.

Reparem que Aécio falou em responder com clareza e não esclareceu coisa nenhuma. Falou em governar com previsibilidade, mas se contradisse ao não responder o que fará. Por fim, em uma fala tortuosa e de difícil compreensão, pareceu ser contra o planejamento feito pelo estado, como ocorre com o PAC, que não tem nada de mirabolante.

Bonner perguntou: Mas o senhor vai aumentar as tarifas?

Finalmente Aécio admitiu que sim, ainda que embromando. Errou ao dizer que “quando tiver os dados sobre a realidade do governo é que vou estabelecer isso”. Ora, Aécio é senador, ele tem acesso por oficio a qualquer informação do governo que quiser.

Mensalão Tucano

Patrícia Poeta perguntou: Candidato, o seu partido é crítico ferrenho de casos de corrupção que envolvem o PT. Mas o seu partido também é acusado de envolvimento em escândalos graves de corrupção. Como é o caso do mensalão mineiro e também do pagamento de propina a funcionários públicos pelo cartel de trens e metrôs de São Paulo. Isso para citar dois exemplos. Toda vez que escândalos como esse vêm a público, tanto o PT quanto o PSDB usam o mesmo discurso. Um discurso óbvio e correto. Que tudo tem que ser investigado, que se houver culpado tem que ser punido. Por que o eleitor iria acreditar que exista diferença entre os dois partidos quando o assunto é esse: corrupção?

Aí Aécio foi muito mal, passou a imagem do malandro “esperto” que defende a impunidade para os seus amigos. Disse que os petistas foram condenados e os tucanos não, como se isso fosse vantagem. Ora, o povo vê o contrário. Vê dois pesos e duas medidas. Vê que não há impunidade para petistas e há para os tucanos.

Patrícia Poeta: Mas candidato, vamos pegar um exemplo aqui: Eduardo Azeredo, que foi um dos principais acusados de ser beneficiado no escândalo do mensalão mineiro, renunciou e por isso não foi julgado ainda. Ele está ao seu lado, no seu palanque, apoiando essa campanha eleitoral. Isso de uma certa forma lhe causa algum desconforto, não é passar a mão na cabeça das pessoas, de alguém do partido, um réu, nesse caso?

Aécio balbuciou que “Ele está me apoiando, você colocou bem, Patrícia, não é o inverso”. E caiu no discurso padrão “que tudo tem que ser investigado, que se houver culpado tem que ser punido” citado na pergunta anterior. Conclusão: não convenceu.

Programa sociais

Patrícia Poeta levantou a bola para Aécio dizer que manterá programas sociais. Perguntou: O senhor tem dito que vai manter alguns dos principais programas sociais do governo atual, como é o caso do Bolsa Família, o ProUni, o Pronatec, o Mais Médicos e também a política de reajuste do salário mínimo. A sensação que dá para muitos eleitores, é que o senhor, sim, aprova o desempenho do PT nessa área social. Por que então esses eleitores iam querem mudar de presidente?

Foi a única pergunta em que Aécio se saiu melhor por admitir a qualidade destes programas. O problema é que, com isso, ele está elogiando Dilma. Para tentar diminuir danos, disse que os programas começaram no governo FHC. Só “se esqueceu” de dizer que no governo FHC os programas sociais existiam mas eram para poucos, com uma verba mínima, que não alcançava todo mundo que precisava, a ponto de deixar a fome do povo como herança maldita para Lula resolver.

Saúde:

Bonner perguntou: O senhor mencionou já duas vezes a saúde em Minas Gerais, o senhor tem dito que é melhor do Sudeste, a quarta melhor do Brasil. No entanto, os analistas que se debruçaram sobre investimentos públicos na saúde de Minas afirmam que isso foi muito mais resultado de investimentos da União e de municípios do que do estado. O senhor não considera a saúde uma prioridade também de governos estaduais, candidato?

Aécio foi desastroso de novo. Em vez de responder a pergunta, disse que em reunião com médicos tucanos da USP, ele foi elogiado.

De novo o Jornal Nacional aliviou ao não questionar porque várias cidades de Minas precisaram receber médicos do programa Mais Médicos, e como ele iria descartar os médicos cubanos, se em Minas ele nunca conseguiu resolver o problema da falta de médicos em regiões carentes.


 

 

ENREDADO EM DISSIMULAÇÕES O TUCANO TEM DIFICULDADES E JÁ CONSTRANGE AS AUDIÊNCIAS, QUE VIAM NELE UM BIOMBO PARA O RETORNO DOS HERÓIS DO MERCADO.

SAUL LEBLON, CARTA MAIOR

À  MEDIDA EM QUE A CAMPANHA  PRESIDENCIAL SUPERA A FASE ALEGRE DOS CONSENSOS, ANCORADA  EM SORRISOS E MANCHETES DE CREDIBILIDADE EQUIVALENTE, O BICHO PEGA.

AS PESQUISAS DE INTENÇÃO DE VOTO EXALAM UM CHEIRO DE QUEIMADO E A FUMAÇA ONDULA NA DIREÇÃO DO  PALANQUE CONSERVADOR.

EXCETO NA HIPÓTESE DE UM NOVO ESCÂNDALO INOCULADO PELA MÍDIA, A DÚVIDA CONFIDENCIADA EM FILEIRAS DE BICUDOS E GRAÚDOS CARREGA NERVOSA PERTINÊNCIA.

DE ONDE, AFINAL,  AÉCIO E ASSEMELHADOS  VÃO  EXTRAIR O FÔLEGO QUE AS PESQUISAS LHES SONEGAM,  SE MESES E  MESES DE EXPOSIÇÃO EXCLUSIVA E ESFERICAMENTE FAVORÁVEL  NA MÍDIA NÃO FOI CAPAZ DE LHES PROPORCIONAR O ESTIRÃO PREVISTO NA PREFERÊNCIA NACIONAL?
A PARTIR DO DIA 19, A PROPAGANDA ELEITORAL  ABRE UMA TRINCA NESSE MONÓLOGO.

FAZ MAIS.

TEMAS CRUCIAIS PARA O DESENVOLVIMENTO BRASILEIRO,  COMO A REDUÇÃO DA DESIGUALDADE, O FUTURO DO SALÁRIO MÍNIMO,  A DESINDUSTRIALIZAÇÃO,  PASSAM A  EXIGIR UM POSICIONAMENTO CLARO DE QUEM PRETENDE CHEGAR COMPETITIVO ÀS URNAS DE OUTUBRO.

NA BOCA DE AÉCIO NEVES  ELES QUEIMAM COMO BATATA QUENTE.

A DIFICULDADE  DE DISCORRER COM CLAREZA SOBRE  ESSES ITENS REVELA DOIS FLANCOS MORTAIS EM UMA DISPUTA PRESIDENCIAL.

DE UM LADO, A FRAGILIDADE  DE UM PROJETO QUE  NÃO PODE SE EXPLICAR HONESTAMENTE AO ELEITOR, SOB PENA DE EVIDENCIAR SEU CONTEÚDO ANTISSOCIAL .

DE OUTRO, O CHÃO MOLE MAIS INCOMODO DO PALANQUE CONSERVADOR: SEU PRÓPRIO CANDIDATO. VISTO COM ENTUSIASMO COMO UM BIOMBO PARA O REGRESSO DOS HERÓIS DO MERCADO A BRASÍLIA, O TUCANO ÀS VEZES SOA COMO UM PIANO DIFÍCIL DE ESCUTAR E DE CARREGAR.

 ENREDADO NA TEIA DA DISSIMULAÇÃO AÉCIO NEVES TEM DIFICULDADES EVIDENTES COM A CONSISTÊNCIA.

EXPOR COMO ENXERGA E DE QUE MODO  PRETENDE EQUACIONAR OS GRANDES GARGALOS BRASILEIROS É UMA TAREFA ACIMA DE SUAS POSSIBILIDADES.

SUA INCAPACIDADE DE DISCORRER MAIS QUE ALGUNS  SEGUNDOS SOBRE UM MESMO ASSUNTO, DEPOIS DE  ESGOTAR O ESTOQUE DE LUGARES COMUNS,  COMEÇA A CONSTRANGER  AS AUDIÊNCIAS MAIS RECEPTIVAS.

EM ENCONTRO RECENTE COM INDUSTRIAIS,  PROMOVIDO PELA CNI, O DESCONFORTO  NA PLATEIA ERA MAIS DENSO DO QUE A ENORME BOA VONTADE COM O JOVIAL NETO DE TANCREDO.

MESMO LENDO, FICOU FLAGRANTE QUE DEBULHA  UMA ESPIGA ADVERSA  QUANDO SE TRATA DE DISCORRER SOBRE O PAÍS, SEUS FLANCOS E SUAS POSSIBILIDADES.

NÃO É  SUA PRAIA. AÉCIO É MAIS AFEITO À LIGEIREZA DO QUE AO MANEJO DAS GRANDES AGENDAS NACIONAIS.

LULA, QUE HOJE TEM O BRASIL NA PALMA DA MÃO,  FAISCAVA EM 2002 UMA EXPERIÊNCIA  DE VIDA RIQUÍSSIMA, COISA  QUE O MINEIRO TAMPOUCO POSSUI.  DA BOCA DO METALÚRGICO  EMERGIA O ARRANQUE SOFRIDO DE MILHÕES DE PERSONAGENS E SONHOS DE UM BRASIL QUASE AUSENTE DO REPERTÓRIO  DOMINANTE.

DO ESFORÇO DE AÉCIO SE OUVE UMA VERSÃO EMPOBRECIDA DA NARRATIVA GORDUROSA, MONÓTONA E BUROCRÁTICA DOS EDITORIAIS CONSERVADORES.

DILMA NÃO TEM A VIVÊNCIA POPULAR DE LULA. MAS DISPÕE DE UMA DENSIDADE TÉCNICA E INTELECTUAL , ADEMAIS DO DOMÍNIO E DA EXPERIÊNCIA NO MANEJO DA MÁQUINA DO ESTADO,  DA ECONOMIA E DA INFRAESTRUTURA NACIONAL,  QUE A SINGULARIZAM DE IMEDIATO AOS OLHOS DO OBSERVADOR ISENTO.

MAS SOFRE UMA RESTRIÇÃO SÉRIA DO PONTO DE VISTA DOS DONOS DO PAÍS:

‘DILMA? ESTA NÃO É PARA AMADORES. “NÃO ADIANTA ACHAR QUE ELA VAI QUERER TE AJUDAR. ELA NÃO AJUDA NINGUÉM. VOCÊ TEM QUE FAZER POR ONDE CONVENCÊ-LA QUE SEU PROJETO SE ENCAIXA NAS PRIORIDADES DO GOVERNO. LULA ERA MAIS SENSÍVEL A ARGUMENTOS COMO O RISCO DE DEMISSÕES E O ESFORÇO NA CONSTRUÇÃO DE UMA SOLUÇÃO DE CONSENSO. DILMA SÓ CEDE À RACIONALIDADE ECONÔMICA E REPUBLICANA”, RECLAMAVAM TITÃS DO MERCADO NO JORNAL VALOR,  NA SEMANA PASSADA (01/08/2014)

 AÉCIO É O PRÓPRIO JOGO. MAS O PLACAR NÃO ANDA COM ELE. O  DISCURSO LINEAR, DESPROVIDO DE ÊNFASE,  SUCEDIDO DE  IMPROVISOS JEJUNOS, REVELAM CADA VEZ MAIS A NATUREZA FRAUDULENTA DO PRODUTO QUE A MÍDIA VENDE COMO SINÔNIMO DE ‘MUDANÇA’.

A PLUTOCRACIA NÃO DESISTIRÁ. AS DOAÇÕES JORRAM.

NÃO ESPANTA.

ASSIM OCORREU  TAMBÉM NA PROMOÇÃO DE OUTRO SIMULACRO, EM 1989, FRUTO DA MESMA DETERMINAÇÃO  OMNÍVORA:  ‘TUDO , MENOS O PT’.

NESTA 5ª FEIRA, AÉCIO  FOI LEVADO PELO IMPOLUTO PAULINHO ‘BOCA’, DA FORÇA,  PARA CONHECER A CLASSE OPERÁRIA, NA ZONA NORTE DE SÃO PAULO.

O CANDIDATO APROVEITOU O PANO DE FUNDO E SAPECOU UMA DO ESTOQUE DE BOLSO:  ‘PAÍS VIVE HOJE A MAIOR CRISE DE DESINDUSTRIALIZAÇÃO DA SUA HISTÓRIA’.

TEVE O AZAR DE SER COBRADO  EM SEGUIDA SOBRE UM TEMA PEDESTRE: SUA POLÍTICA DE REAJUSTE PARA O SALÁRIO MÍNIMO.

A BATATA QUENTE FUMEGOU NA BOCA.

‘VOU ASSUMIR O GOVERNO E, DE POSSE DE TODAS AS INFORMAÇÕES QUE EU TIVER, VOU VALORIZAR O TRABALHADOR BRASILEIRO’,  ARRISCOU FRANZINDO O CENHO COMO SE SUPLICASSE : ‘EMPLACOU?’ .

QUASE NA MESMA HORA, UM DE SEUS FORMULADORES, O ECONOMISTA  MONSUETO  ALMEIDA, UM CENTURIÃO DA GUERRA CONTRA O GASTO PÚBLICO, DIZIA  À REUTERS, POR ESCRITO: ‘SE FOR ELEITO, O GOVERNO NEVES TERÁ COMO OBJETIVO ACABAR COM O POPULISMO MONETÁRIO (…) E VOLTAR A UMA TAXA LIVRE DE CÂMBIO FLUTUANTE’.

O QUE  EXATAMENTE SIGNIFICA  ADOTAR O CÂMBIO LIVRE NUM  MUNDO IMERSO EM UM DILÚVIO DE LIQUIDEZ?

DEPOIS DE QUASE SETE ANOS DE COLAPSO DA ORDEM NEOLIBERAL,  OS FUNDOS  INTERNACIONAIS DE INVESTIMENTO E DE PENSÃO TEM 31% MAIS DINHEIRO DO QUE O SALDO ANTERIOR À CRISE; UMA BOLADA EQUIVALENTE A 75% DO PIB MUNDIAL.

AS OPÇÕES DE INVESTIMENTO EM CONTRAPARTIDA EVOLUÍRAM NA DIREÇÃO INVERSA.

HÁ MAIS DE UM ANO, O GOVERNO BRASILEIRO INTERVÉM NO CÂMBIO.

É UM POUCO COMO ENXUGAR GELO. MAS É INDISPENSÁVEL  PARA IMPEDIR QUE O INGRESSO DE CAPITAIS  ESPECULATIVOS  (ATRAÍDOS PELAS MAIORES TAXAS DE JUROS DO PLANETA –CONCESSÃO DE DILMA AO MERCADO AECISTA) DEPRIMAM O VALOR DO DÓLAR.

CASO CONTRÁRIO,  AS IMPORTAÇÕES MATARIAM DE VEZ A INDÚSTRIA LOCAL.

AÍ VEM O ASSESSOR DE AÉCIO. E ANUNCIA O PROGRAMA DO PSDB PARA A ÁREA CAMBIAL: A ‘LIVRE FLUTUAÇÃO DA PARIDADE’, UM FERMENTO  À DESINDUSTRIALIZAÇÃO .

DE NOVO, O CANDIDATO NÃO CONSEGUE OU NÃO PODE FALAR SOBRE O QUE  PRETENDE  COM O BRASIL.

PARA UM CONSERVADORISMO HESITANTE DIANTE DA FRAQUEZA DE SEU PUPILO RESTA A ESPERANÇA DE TORNA-LO UM ADEREÇO ORNAMENTAL.

‘AÉCIO DELEGA’, RETRUCAM  MUXOXOS  SOB UM  PIANO QUE COMEÇA A PESAR  JUSTAMENTE  NA ESCALADA DE UMA ELEIÇÃO QUE ENTRA NA ETAPA DA CONQUISTA  DA CREDIBILIDADE.

É FATO: DELEGAR, O MINEIRO  DELEGA. É UMA  QUESTÃO DE SOBREVIVÊNCIA . O PROBLEMA AGORA  É  ESCONDER DO ELEITOR OS PORTADORES DESSA DELEGAÇÃO.

EM CASO DE VITÓRIA, UM CORINGA DE ESTIMAÇÃO DOS MERCADOS ASSUMIRIA AS RÉDEAS DA ECONOMIA COM CARTA BRANCA PARA AGIR, CONFIDENCIAM BICUDOS DO PSDB.

ARMÍNIO FRAGA SERIA O PRESIDENTE DA REPÚBLICA DO DINHEIRO. AÉCIO O SEU SUPORTE LEGAL.

O QUE ARMÍNIO FEZ AO ASSUMIR O BC, EM MARÇO DE 1999, QUE O CREDENCIOU AOS OLHOS DA PLUTOCRACIA PARA SER ESSE NAPOLEÃO DOS BASTIDORES, A MÃO INVISÍVEL DOS MERCADOS TROPICAIS?

VALE RECORDAR.

FERNANDO HENRIQUE  ACABARA DE SER REELEITO PARA UM SEGUNDO MANDATO E DECRETARA UMA MAXIDESVALORIZAÇÃO DE 30%, EM 19 DE JANEIRO DE 1999.

O REAL FAZIA ÁGUA.

UMA SEMANA DEPOIS DA MÁXI QUE ESFARELOU O ENGODO DA MOEDA FORTE,  A FUGA DE CAPITAIS HAVIA REDUZIDO AS RESERVAS BRASILEIRAS A US$ 30 BILHÕES, O EQUIVALENTE ÀS DA ARGENTINA HOJE, DENEGRIDA COMO NAÇÃO IRRESPONSÁVEL PELO COLUNISMO CONSERVADOR E POR FUNDOS ABUTRES.

AS  EXPECTATIVAS DE INFLAÇÃO OSCILAVAM DE  20% A 50% AO ANO –MAIOR QUE A DA ARGENTINA.

A AVALANCHE INFLACIONÁRIA, CAMBIAL E FISCAL DERRUBARIA DOIS PRESIDENTES DO BC ANTES DE ARMÍNIO CHEGAR AO POSTO, EM MARÇO.

O QUE FEZ ENTÃO?

SANCIONOU AS FRONTEIRAS DELIMITADAS PELO DINHEIRO NO CAMPO DE GUERRA.

A TAXA DE JURO FOI FIXADA EM SINGELOS  45% AO ANO –HOJE ESTÁ EM  11% E É, COMO DE FATO É, APONTADA COMO ASFIXIANTE.

COM ARMÍNIO, O BC  ADOTOU O REGIME DE METAS DE INFLAÇÃO:  A ESCALADA DOS JUROS  TORNOU-SE A RESPOSTA À INDISCIPLINA DOS PREÇOS.

MAIS QUE ISSO.

ARMÍNIO DEU ASSIM AOS DETENTORES DA RIQUEZA, QUE ACABAVAM DE PERDER A ILUSÓRIA ÂNCORA DA PARIDADE CAMBIAL, UM POTENTE ESCUDO DE JUROS PARA DEFENDER  O VALOR REAL DE SEU PECÚLIO.

LIBEROU O CAMPO DESSE MODO PARA  A MAXIDESVALORIZAÇÃO FAZER O SERVIÇO QUE LHE CABIA: ESCALPELAR O PODER DE COMPRA DOS ASSALARIADOS,  SEM AVILTAR A RIQUEZA  DOS RENTISTAS.

FOI ASSIM QUE SE CONSOLIDOU A TRANSFERÊNCIA DA ÂNCORA DO PLANO  REAL, DO CÂMBIO, PARA O JURO.

DE FORMA MAIS SIMPLES: ARMÍNIO FOI O FIADOR DO PACTO HISTÓRICO E CARNAL ENTRE O PSDB E O RENTISMO.

E ASSIM  ARMÍNIO SE CONSAGROU COMO  ESCUDEIRO DO MERCADO.

O QUE SE ESPERA DELE AGORA É QUE REPITA O DESEMPENHO SE AÉCIO CHEGAR AO PLANALTO.

NÃO NECESSARIAMENTE NESSA ORDEM DOS FATORES. MAS COM PODERES ATÉ MAIORES QUE OS DA EXPERIÊNCIA ANTERIOR. PODERES DE UM PRESIDENTE DA REPÚBLICA DO DINHEIRO, REPITA-SE.

AO TARIFAÇO NO LOMBO DOS ASSALARIADOS,  PRECONIZADO  COMO O START DO PROCESSO POR  FORMULADORES TUCANOS,  SEGUIR-SE-Á    UMA ROBUSTA TALAGADA DE  JUROS PARA  SALVAGUARDAR –COMO ANTES–   OS ENDINHEIRADOS DO REBOTE DA INFLAÇÃO.

UMA VOLTA EXTRA NO TORNIQUETE  FISCAL  —‘’UM SUPERÁVIT DE UNS 3% DO PIB”—   DARIA À TURMA DO MERCADO A CERTEZA DE QUE O ESTADO FARIA O ARROCHO NECESSÁRIO  PARA PAGAR  O SERVIÇO  DA DÍVIDA.

O DÓLAR FLUTUANTE DE QUE FALA MONSUETO DARIA O ARREMATE À OBRA.

DÓLAR BARATO MAIS ABERTURA AMPLA ÀS IMPORTAÇÕES = NOCAUTE NAS TAXAS DE INFLAÇÃO.

É O QUE SE PROMETE NOS SALÕES ELEGANTES ONDE A CONVERSA É DESABRIDA, QUASE EUFÓRICA.

A QUE PREÇO SAIRIA O PACOTE?

AO PREÇO, ENTRE OUTROS,  DE UMA CONTRAÇÃO DO PARQUE MANUFATUREIRO, CAPAZ DE DEIXAR SAUDADE  ‘NA MAIOR DESINDUSTRIALIZAÇÃO DA HISTÓRIA’ DENUNCIADA HOJE POR AÉCIO.

O  SALDO RESTANTE SERIA QUITADO NA FORMA DE DESEMPREGO E  DEPRECIAÇÃO SALARIAL, REDUZINDO DE FATO O DEMONIZADO  ‘CUSTO BRASIL’.

POR ISSO AÉCIO NÃO PODE ADIANTAR A SUA FÓRMULA DE CORREÇÃO DO SALÁRIO MÍNIMO, NEM A DA CORREÇÃO DA TABELA DO BOLSA FAMÍLIA E OUTRAS MIUDEZAS SOCIAIS.

 RESTARIA APENAS UMA INCÓGNITA  COLATERAL:  QUANTO SOBRARIA DO PAÍS  FORA DO RALO?
DEIXADOS  À PRÓPRIA SORTE, COMO ADVOGAM OS ‘MATADORES’ À LA ARMÍNIO,  OS ‘AJUSTES DE MERCADO’ EMPURRAM   A ECONOMIA PARA OPERAR  À BEIRA DO SUMIDOURO.

OU SEJA, EM CONDIÇÕES DE BAIXA DEMANDA EFETIVA E ELEVADO NÍVEL DE DESEMPREGO.

SEM PREJUÍZO DA CARTEIRA RENTISTA.

A RAÇÃO DOS  JUROS FICA ASSEGURADA PELA DINÂMICA DE UM  ENDIVIDAMENTO PÚBLICO EMPAREDADO ENTRE DESPESAS FIXAS E RECEITA FISCAL CORROÍDA PELA RECESSÃO.

O CONJUNTO   REÚNE OS INGREDIENTES TÍPICOS DA RECEITA QUE LEVOU O MUNDO AO DESASTRE NEOLIBERAL DE 2008.

A SABER: EMPOBRECIMENTO DAS FAMÍLIAS  ASSALARIADAS,  DESIGUALDADE CRESCENTE, DECADÊNCIA INDUSTRIAL, ELEVADO DESEMPREGO E A CEREJA DO BOLO: DÉFICIT  FISCAL, DE UM LADO, E DERROCADA DOS SERVIÇOS E INVESTIMENTOS PÚBLICOS, DE OUTRO.

MAIORES INFORMAÇÕES, CONSULTAR AS CONTAS NACIONAIS DA ESPANHA, GRÉCIA, PORTUGAL E ASSEMELHADOS. TODOS SUBMETIDOS  À MESMA TERAPIA  ACALENTADA AQUI PELA TURMA EMPENHADA NO DESMONTE DA INCIPIENTE DEMOCRACIA SOCIAL BRASILEIRA.

A IDEIA QUE DESSE NECROLÓGIO  POSSA BROTAR UMA PUJANTE  BASE  EXPORTADORA EQUIVALE A ACREDITAR QUE A FAIXA DE GAZA HOJE  ESTÁ MAIS APTA  A CRESCER E A PROSPERAR  DO QUE ANTES  DOS 28 DIAS DE BOMBARDEIOS DE ISRAEL.

ESSE É O ANGU DE CAROÇO TEMPERADO NOS BASTIDORES DA CANDIDATURA  TUCANA, QUE  AÉCIO NEVES PROTAGONIZA MAS NÃO CONSEGUE, NEM PODE, VERBALIZAR DE FORMA PALATÁVEL

A CAMPANHA, PORÉM, INGRESSA NUMA FASE EM QUE O TUCANO  SERÁ INSTADO, CADA VEZ MAIS, A ESCLARECER SUAS PROPOSTAS PARA  O PRESENTE E O FUTURO BRASILEIRO.

É A HORA EM QUE AS BATATAS QUEIMAM NA BOCA DO CONSERVADORISMO.

PIOR QUE ISSO.

A HORA EM QUE O PRÓPRIO AÉCIO SE TORNA UMA DELAS.”

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...