2014 Maio | Luis Antonio 13



Prev
Next
Amigos do Facebook
Rádio Transmissão
Vereador - Luis Antônio
Acontecendo


Arquivo do mês: Maio 2014

A

 
 

Situação política de Aécio Neves (PSDB-MG) fica mais complicada.

A elo de ligação entre um negócio da CEMIG e um pagamento ao doleiro Alberto Youssef é mais suspeito do que imaginávamos.

A CEMIG tinha 49% da empresa Guanhães Energia e a Investminas tinha 51% da Ganhães Energia.

Metade para cada, na prática. O patrimônio total da Guanhães era R$ 19,6 milhões no fim de 2011 (e R$ 20,3 milhões no final de 2012). Números oficiais do balanço da empresa. 

Vamos considerar o patrimônio valendo R$ 10 milhões para cada sócio em números redondos, já que não sabemos o valor exato em agosto de 2012.

Em 11-07-2012 a CEMIG autoriza sua controlada LIGHT (distribuidora de eletricidade no RJ) a comprar os 51% da Investminas.

Em 28-08-2012 a LIGHT anuncia a compra dos 51% da Guanhães, pagando R$ 26,6 milhões pelo negócio. O valor é cerca 166% superior ao patrimônio avaliado no balanço da empresa.

De acordo com o balanço o valor destes 51% eram próximos a R$ 10 milhões, portanto a Investminas fez um negócio da China, ganhando cerca R$ 16,6 milhões de lucro.

Três semanas depois, em 19-09-2012, a Investminas depositou R$ 4,3 milhões na conta da MO Consultoria – empresa de fachada usada pelo doleiro Youssef, segundo as palavras da revista Época.

Está explicado porque o senador Aécio Neves já pediu no STF Habeas Corpus ou Mandato de Segurança, não sei ao certo, para impedir a CPI de investigar a CEMIG.

 

C/ blogs

 

Da Redação

O ex-presidente Lula disse esta noite, num encontro do Partido dos Trabalhadores em Porto Alegre, que as eleições de 2014 serão uma disputa entre dois projetos. Um, que prega a inserção de todos os brasileiros na economia. Outro, que representa aqueles que sofrem do “complexo de vira-latas”, ou seja, que valorizam tudo o que vem dos Estados Unidos e da Europa.

Durante o discurso, Lula criticou a mídia, dizendo que ela não reflete o que se passou no Brasil nos últimos 11 anos.

O ex-presidente disse que a oposição tem dito que o Brasil avançou por conta do esforço pessoal dos brasileiros, não por conta das políticas públicas implantadas desde 2002.

“Por que eles não foram esforçados no governo tucano?”, disse Lula, referindo-se ao período de Fernando Henrique Cardoso entre 1994 e 2002.

Em seu discurso, a presidente Dilma afirmou que, se a vitória de Lula em 2002 foi a da esperança sobre o medo, na campanha de 2014 será a da verdade sobre a mentira e a desinformação.

Foi uma maneira oblíqua de criticar a campanha diuturna da mídia corporativa contra o trabalhismo e contra o seu governo.

“O Brasil soube defender como poucos paises do mundo o que interessa, o emprego e o salário dos trabalhadores”, disse Dilma, sobre o que aconteceu depois da crise econômica internacional deflagrada em 2008.

A presidente afirmou que o Brasil remou contra a corrente. Em regime democrático, só na Espanha depois de entrar na União Europeia houve uma redução da desigualdade equivalente à que aconteceu no Brasil desde 2002, lembrou Dilma.

“Todos, sem exceção, melhoraram sua renda”, acrescentou a presidente. Mas os mais pobres e as classes médias tiveram maior crescimento, aduziu. Dilma disse que o processo não se esgotou: “Todos os dados mostram que ele continua e que ele se aprofundou”.

A presidente afirmou também que os ajustes econômicos prometidos pelos tucanos costumam envolver aumento do desemprego, redução do salário e aumento dos juros.

“Eu não fui eleita nem para arrochar, nem para desempregar”, disse Dilma. “Nem para entregar o pré-sal ou para varrar a corrupção para debaixo do tapete”, acrescentou.

A presidente disse que existe uma campanha contra a Copa que, na verdade, é contra o seu governo.

Identificou a campanha com a famosa capa da revista Veja — sem mencionar o nome da revista – de maio de 2011, dizendo que os estádios da Copa, naquele ritmo de construção, só ficariam prontos em 2038.

A presidente disse que há desinformação quando se diz que a Copa está consumindo orçamento da Educação; quando se diz que há perigo de a epidemia de dengue ameaçar turistas nesta época do ano; quando se diz que não vai haver internet nos estádios; que vai haver racionamento de energia elétrica durante a Copa; ou que não haveria novos aeroportos, quando a capacidade de embarque e desembarque foi duplicada.

“Onde está tendo racionamento de água, ninguém fala”, cutucou Dilma, sobre a falta d’água em São Paulo.

Ficou claro que a presidente subiu o tom em relação à cobertura jornalística adversa, focada no negativo, da mídia corporativa.

De manhã, também em Porto Alegre, o ex-presidente Lula participou de um seminário promovido pelo diário espanhol El Pais:

“O que eu vou dizer aqui não saiu na imprensa” – Lula em seminário do El País em Porto Alegre

Jun 06, 2014

do Instituto Lula

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva falou nesta sexta-feira (6) no seminário “Desenvolvimento, inovação e integração regional”, promovido pelo jornal espanhol El Pais. E apontou dados positivos sobre os avanços do pais nos últimos 11 anos, e que em geral as pessoas não conhecem, pois não tem destaque na imprensa.

– “Somos hoje a 7ª economia do mundo, com um PIB que passou de US$ 550 bilhões em 2002 para mais de US$ 2 trilhões e 200 bilhões em 2013.”

– “Temos hoje 370 bilhões de dólares de reservas internacionais”

– “Apenas 9 países do G-20 conseguiram crescer acima de 2% em 2013. E o Brasil está entre eles, com uma taxa de 2,5%. Este não é um resultado desprezível, pois demonstra capacidade de resistir a uma conjuntura adversa.”

– “Nestes quase cinco anos, enquanto 62 milhões de empregos foram destruídos ao redor do mundo, segundo a OIT, o Brasil criou 10 milhões de empregos.”

– “Saímos de 107 bilhões de fluxo de comércio externo para 480 bilhões.”

– “A renda média do povo brasileiro cresceu 33%. E a dos mais pobres cresceu 70%”

– “Quantos países enfrentaram essa crise aumentando a renda e o emprego?

– “Quantos países geraram empregos como o Brasil com sindicatos e imprensa livre?”

– “Qual pais duplicou sua safra de grãos em 11 anos?”

– “Qual foi o pais que duplicou a produção de automóveis em 11 anos?”

ENERGIA E INFRA-ESTRUTURA

– “Que pais saiu de 80 mil para 120 mil megawatts de energia e construiu 30 mil quilômetros de linha de transmissão.”

– “Quantos países oferecem as oportunidades em projetos de infra-estrutura que oferece o Brasil?”

EDUCAÇÃO

– “O Brasil é o país que mais aumentou o investimento público em educação nos últimos anos, de acordo com a OCDE. O Orçamento do MEC passou de R$ 33 bilhões em 2002 para R$ 104 bilhões.

– “Saímos de 3,5 milhões de estudantes universitários, e onze anos depois, temos mais de 7 milhões de estudantes universitários. E precisamos avançar muito mais. Por isso, aprovamos o plano nacional de educação e os 75% dos royalties do pré-sal para a educação.”

O ex-presidente comparou a cobertura internacional do México, que tem sido muito elogiado e a do Brasil. E criticou o tratamento diferente dado aos dois países, não baseado na realidade dos números. “No México está tudo pior que o Brasil. E como eu quero que o México cresça também não estou dizendo isso porque quero o mal do México. Estou dizendo por que (o que sai na imprensa) é mentira.”

:

Em nota divulgada nesta quinta (22), Comissão Brasileira Justiça e Paz, vinculada à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), critica as decisões do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, contra o trabalho externo de condenados na Ação Penal 470, como José Dirceu, e afirma não ser lícito que atos políticos, administrativos e jurídicos levem a insuflar na sociedade o espírito de vingança e de “justiçamento”; ”As decisões proferidas pela Presidência do Supremo Tribunal Federal sobre a execução da Ação Penal 470 (mensalão) que têm suscitado críticas e preocupações na sociedade civil em geral e na comunidade jurídica”, afirma texto assinado por Pedro Gontijo, secretário executivo da comissão da CNBB

22 DE MAIO DE 2014 ÀS 21:17

 

247 - Em nota, Comissão Brasileira Justiça e Paz, vinculada à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), critica as decisões do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, contra o trabalho externo de condenados na Ação Penal 470 e afirma não ser lícito que atos políticos, administrativos e jurídicos levem a insuflar na sociedade o espírito de vingança e de “justiçamento”.

“As decisões proferidas pela Presidência do Supremo Tribunal Federal sobre a execução da Ação Penal 470 (mensalão) que têm suscitado críticas e preocupações na sociedade civil em geral e na comunidade jurídica em particular, exigem o inadiável debate a cerca das situações precárias, desumanas e profundamente injustas do sistema prisional brasileiro”, inicia a nota.

“A Pastoral Carcerária, em recente nota, referiu-se à Justiça Criminal como um “moinho de gastar gente” por causa de decisões judiciais que levam a “condenações sem provas” e “negam a letra da lei” com “interpretações jurídicas absurdas”. Inseriu, neste contexto, a situação dos presos da Ação Penal 470 ao denunciar o conjunto do sistema penitenciário, violento e perverso, que priva os apenados “dos cuidados de saúde e de higiene mais básicos” e carece de políticas públicas para sua inserção no mercado de trabalho”, continua. Neste sentido, a Comissão Brasileira Justiça e Paz diz somar-se à Pastoral Carcerária e “repudia” o conteúdo destas decisões, “bem como a política de encarceramento em massa”.

Abaixo o texto da nota na íntegra:

Nota da Comissão Brasileira Justiça e Paz sobre a execução da Ação Penal 470

Misericórdia e fidelidade se encontram, justiça e paz se abraçam.( Sl 85,11)

As decisões proferidas pela Presidência do Supremo Tribunal Federal sobre a execução da Ação Penal 470 (mensalão) que têm suscitado críticas e preocupações na sociedade civil em geral e na comunidade jurídica em particular, exigem o inadiável debate a cerca das situações precárias, desumanas e profundamente injustas do sistema prisional brasileiro.

A Pastoral Carcerária, em recente nota, referiu-se à Justiça Criminal como um “moinho de gastar gente” por causa de decisões judiciais que levam a “condenações sem provas” e “negam a letra da lei” com “interpretações jurídicas absurdas”. Inseriu, neste contexto, a situação dos presos da Ação Penal 470 ao denunciar o conjunto do sistema penitenciário, violento e perverso, que priva os apenados “dos cuidados de saúde e de higiene mais básicos” e carece de políticas públicas para sua inserção no mercado de trabalho.

A Comissão Brasileira Justiça e Paz, organismo vinculado à CNBB, soma-se à Pastoral Carcerária e “repudia” o conteúdo destas decisões, bem como a política de encarceramento em massa, que penaliza especialmente negros e pobres, com inúmeras práticas cruéis, estendidas aos familiares e amigos dos presos, como a “revista vexatória”, atentado direto à dignidade humana.

A independência do Poder Judiciário somente realiza a necessária segurança jurídica em sua plenitude, quando viabiliza sem obstáculos o amplo direito de defesa e a completa isenção na análise objetiva das provas. Ela é imprescindível na relação do Judiciário com os meios de comunicação, não se podendo confundir transparência nos julgamentos com exposição e execração pública dos réus.

CBJP tem a firme convicção de que as instituições não podem ser dependentes de virtudes ou temperamentos individuais. Não é lícito que atos políticos, administrativos e jurídicos levem a insuflar na sociedade o espírito de vingança e de “justiçamento”. Os fatos aqui examinados revelam a urgência de um diálogo transparente sobre a necessária reforma do Judiciário e o saneamento de todo o sistema prisional brasileiro.

Brasília, 22 de maio de 2014

Pedro Gontijo
Secretário Executivo da Comissão Brasileira Justiça da CNBB

 

 

Isso o Jornal Nacional censura:

Quem está bem informado sabe que a lei do programa Mais Médicos, criado pela presidenta Dilma no ano passado prevê também a criação de 11.447 vagas em faculdades públicas e privadas de medicina até 2017.

Em dezembro do ano passado, o Ministério da Educação (MEC) já havia autorizado a abertura de 560 novas vagas do curso em universidades federais.

Agora, na terça-feira (13), o MEC autorizou a abertura de oito novos cursos de medicina nas universidades federais em cidades do interior do país. Ao todo, serão oferecidas mais 420 vagas no interior da Bahia, Piauí, Rio Grande do Norte, Goiás, Mato Grosso do Sul,

Eis as cidades:

Paulo Afonso (BA): Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), 40 vagas.

Teixeira de Freitas (BA): Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), 80 vagas.

Barreiras (BA): Universidade Federal do Oeste da Bahia (Ufob), 40 vagas.

Parnaíba (PI): Universidade Federal do Piauí (UFPI), 40 vagas.

Caicó (RN): Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), 40 vagas.

Jataí (GO): Universidade Federal de Goiás (UFG), 60 vagas.

Três Lagoas (MS): Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), 60 vagas.

A mídia amanhece hoje anunciando, difundindo e cobrindo manifestações no Brasil inteiro. É a chamada quinta-feira negra da Copa, durante a qual movimentos sociais, alguns sérios outros nem tanto, tentarão chamar a atenção para os problemas nacionais.

A história, como se sabe, tem o hábito da ironia. Coube a ela produzir uma interessante coincidência. Na véspera dessas manifestações, a revista Forbes divulgou a lista das 15 famílias mais ricas do país.

No topo delas, encontra-se a família Marinho, proprietária do maior conglomerado de mídia da América Latina e talvez o maior do mundo ainda sob controle estritamente familiar.

A concentração das nossas riquezas agora tem nome e sobrenome. Não é mais uma tese acadêmica. Essas quinze famílias amealham hoje um patrimônio total de R$ 271,26 bilhões.

Os Marinho se destacam no ranking, com 23% do total, contra 16% para o segundo colocado e 12% para o terceiro.

ScreenHunter_3742 May. 15 08.28

Os Marinho antes não figuravam em primeiro lugar porque a Forbes não tinha o hábito de juntar as fortunas de familiares numa só conta. Até que eles perceberam que o Brasil tem a característica de que suas principais empresas permanecem familiares.

O controle familiar acrescenta uma nota mórbida ao que representa a Globo no país. É a concentração absoluta de poder. Eles são hegemônicos na mídia, na economia… e no gerenciamento de uma fortuna de proporções nababescas.

Não é mais possível, hoje, para ativistas e movimentos sociais que lutam para transformar o Brasil, omitir-se em relação a concentração estapafúrdia de dinheiro em mãos de tão poucas famílias.

O Brasil precisa de uma lei que imponha um imposto pesado sobre as grandes fortunas do país. Assim como há nos EUA e na Europa.

A fortuna dos Marinho, além disso, evidencia que os interesses econômicos e políticos da grande mídia brasileira jamais serão os do povo.

A hegemonia midiática da Globo é possivelmente o maior fator de desequilíbrio e desigualdade políticas presente em nossa democracia. Qualquer grupo político que tenha a preferência da Globo terá uma vantagem dupla: financeira e midiática.

É justamente isso que estamos assistindo. A Globo, mais uma vez, se posiciona de maneira clara. Seus braços midiáticos estão trabalhando, diuturnamente, para derrotar o projeto popular iniciado por Lula em 2003. Não lhes interessa que nunca tenham ganho tanto dinheiro. Eles já tem o poder midiático, já tem o poder financeiro. Só lhes falta o poder político direto. Eles querem alguém de absoluta confiança ocupando o Planalto. Alguém deles, com quem possam trocar confidências, com quem possam almoçar e contar piadas.

Diante da fortuna dos Marinho, vemos o quanto é ridículo a tentativa de vender à opinião pública a existência de uma “elite sindical”. Aliás, diante da fortuna dos Marinho, vemos a importância essencial de sindicatos e centrais para a existência de uma bancada mínima parlamentar que represente os trabalhadores. Como um brasileiro poderia alcançar a representação política no país assumindo posições políticas independentes da Globo?

É por isso que eles odeiam Lula.

Agora também entendemos o “pacto” tácito entre Lula e Globo. Foi um pacto entre adversários.

Pacto que permitiu Lula governar e distribuir renda e à Globo continuar amealhando dinheiro. PT e Globo cresceram nos últimos anos, como dois exércitos que acumulam forças enquanto esperam a próxima grande batalha entre si.

As eleições deste ano será esta grande batalha. E não será a última.

A fortuna dos Marinho ajuda a botar lenha no debate sobre a democratização da mídia. Mais que nunca, está claro que esta é necessária para a consolidação da nossa democracia, a qual, evidentemente, está em risco se há uma família que controla, sozinha, a mídia, o dinheiro e a política de um país.

Agora sabemos quanto rendeu o “mensalão”. Enquanto a Globo satanizava a classe política, seus donos ganhavam uma quantidade de dinheiro que fazem qualquer caixa 2 partidário parecer um grão de areia.

Agora sabemos que o poder corruptor da Globo é algo além da imaginação. Agora entendemos porque Joaquim Barbosa, presidente do STF, pôs seu filho para trabalhar na emissora e passou a frequentar convescotes de Luciano Huck. Agora entendemos porque Ayres Britto, ex-presidente do STF, assinou prefácio do livro de Merval Pereira e assumiu a presidência do Instituto Innovare, da Globo.

Agora entendemos a campanha da Globo para glorificar Joaquim Barbosa e detonar Lewandowski.

A Globo cuida, como sempre, de seu bolso.

A Globo explorou os preconceitos do povo (no qual incluo a classe média) para vender a ideia de que o julgamento do mensalão, pela primeira vez na história do Brasil, “prendeu poderosos”. Ora, ao vermos a fortuna dos Marinho e olharmos para José Genoíno, como evitar uma sombria e nervosa gargalhada interior? Que espécie de poderosos são esses cuja fortuna de uma vida inteira não daria sequer para comprar a graxa dos sapatos usados pela família Marinho?

A concentração de mídia, dinheiro e poder é um problema muito maior que a corrupção, porque implica na destruição dos fundamentos de uma democracia, segundo o qual o poder deve emanar do povo, da maioria da população. A democracia implica, naturalmente, também em regras que protejam o direito das minorias e filtrem as paixões mórbidas do povo.

Explorar os preconceitos populares, como fez a nossa mídia durante a cobertura do mensalão, foi um tremendo mal ao processo democrático.

As pessoas que pensam a política no Brasil não tem mais o direito de omitir-se em relação ao risco democrático inerente ao descomunal poder midiático e financeiro da Globo. Lideranças de movimentos sociais, de partidos, de sindicatos, intelectuais progressistas, terão de ser muito mais atentos.

O PT e o governo federal, por sua vez, terão de refletir profundamente sobre este caso. Uma redistribuição profunda das verbas publicitárias se faz premente, porque não é possível continuar alimentando um monstro que não apresenta um risco somente para o PT, mas para a própria democracia.

Não querem dar nada à imprensa alternativa, tudo bem. Mas não dêem para a Globo. Criem uma portaria qualquer que obrigue concessões públicas a veicularem gratuitamente os anúncios de cunho institucional.

Pensem na democracia, pelo amor de Deus!

A única solução é a internet. Estive relendo uma matéria publicada ano passado no Viomundo, com uma entrevista com Helena Chagas, e voltei a ficar estarrecido com o desprezo dela por uma política de desconcentração e pluralidade das verbas federais voltadas para a publicidade.

Claro, a culpa não é dela. Trata-se de uma visão do PT e da própria Dilma. Mas agora temos dados reais. A política de concentração de verbas, incentivada pelo conceito de mídia técnica, ajudou a criar este monstro. Uma fortuna tão desproporcional em relação ao tamanho da economia brasileira, em mãos de uma família que controla o principal conglomerado de mídia no país, significa um risco altíssimo à democracia, porque o poder corruptor do dinheiro se soma ao poder manipulador da informação.

A mídia, em qualquer país, responde pela representação do nosso imaginário. Agora entendo porque jamais se fizeram (ou se fez tão poucos) filmes ou livros sobre a mídia.

Lima Barreto se deu mal quando lançou Memórias do Escrivão Isaías Caminha, no qual denunciava um jornal fictício chamado… O Globo! O escritor se baseou em sua experiência no Correio da Manhã. O Globo ainda não havia sido fundado quando escreveu o livro, mas a coincidência dos nomes tem um quê de visionária.

Depois daquele livro, Barreto entrou na lista negra da mídia carioca e nunca mais trabalhou em jornal nenhum. Ficou sem renda da noite para o dia, apesar de ser um dos maiores escritores vivos de sua época. Cem anos depois, o drama se repete, mas em proporções infinitamente maiores. E o que está em risco não é mais a segurança financeira de um pobre escritor carioca, mas sim a de um país inteiro, à mercê dos caprichos de uma família multibilionária e seus fantoches na política e no Judiciário.

democratização

Enviado por  .

 

 

Como se sabe, essa eleição é Dilma vs Globo Overseas.

A própria Dilma já é a favor de uma Ley de Medios.

Portanto, não espanta que a manchete do Globo nesta quarta-feira trate do comercial do PT que ensandeceu a oposição.

Diz o Globo:

“PT copia (sic) PSDB e usa discurso do medo para socorrer (sic) Dilma”

“Comercial do partido cita ‘fantasmas do passado’ e diz que ‘não podemos voltar atrás’ ”

A comparação não procede.

Porque o discurso do PSDB em 2002, com a Regina Duarte, era uma mentira.

O do PT, em 2014, é a expressão da verdade.

Em 2002, depois de lançar a “Carta aos Brasileiros”, Lula se descolou da Argentina.

E se comprometeu com um Governo que ia distribuir a renda, e restabelecer a austeridade fiscal.

Foi o que aconteceu.

Lula distribuiu a renda e restabeleceu a austeridade fiscal.

Foi o pessoal do Arrocho Neves que nunca respeitou a meta de inflação; explodiu a dívida do Governo; enaltecia o desemprego; espinafrava os aposentados;  e levou o Risco Brasil a quatro mil pontos – foram eles, os tucanos, que não ousam relembrar o passado.

Não ousam exibir o fantasma no horário eleitoral.

(Isso não é uma ofensa pessoal ao Cerra …).

O comercial do PT desta terça-feira é verdadeiro, porque Lula e Dilma promovem a mais abrangente inclusão social da história do país.

Por que voltar ao passado, se o presente é tão promissor ?

Por que trocar o que dá resultado e oferece esperança por uma política de arrocho ?

O passado é o Arrocho Neves ?

O jovem-velho do PSDB !

Ele é contra o aumento real do salário mínimo; diz que tomará medidas impopulares (para agradar os convidados dos jantares na casa do João Dória, ou seja, vai aumentar os juros a 45%); e pretende levar o Brasil à ALCA, projeto que nem os Estados Unidos defendem mais.

(Agora, os Estados Unidos – e o Príncipe de Privataria, é claro – querem que o Brasil se integre a um suposto “Arco do Pacífico”, do qual a China não faz parte … ) 

O comercial do PT é o trilho por onde passará esta campanha que deverá eleger a Dilma – como demonstra a mesma pesquisa que o PiG apresenta em diferentes versões como se fossem várias – no primeiro turno.

Porque o brasileiro sabe que o Arrocho não tem nada de novo: ele é o papagaio de pirata do Príncipe.

É o Príncipe com botox.

Que assiste ao deplorável espetáculo de o Pauzinho do Dantas, em público, abraçar-se a pinga e tequila.

E o Dudu ? O que tem de novo não presta e o que presta não é novo …

(E deu para acusar de bandido quem trabalha com a Dilma ! Que feio, diria Vovô Miguel !)

Esse comercial do PT bateu na veia.

O Globo sentiu o golpe.

Por isso, se dedicará intensamente ao Golpe.

O problema é que, até outubro, a audiência do jornal nacional deverá estar na casa dos dez pontos.

Quando será tão relevante quanto o jornal impresso da mesma família.

Paulo Henrique Amorim

Existe no Brasil uma geração que nunca viu a seleção brasileira conquistar a Copa do Mundo. Essa galera também não sabe que o país tinha regras diferentes, onde não cabia opções: ou se investia em educação ou saúde, em saneamento, nem pensar! Era gasto. E a casa própria era apenas paras as classes B e A. Mas o Brasil mudou e hoje, no lugar de escolher uma alternativa, o pais adotou o agregar e incluir. Agora a população pode ter sim mais saúde, mais educação, mais infraetrutura, mobilidade urbana e também Copa do Mundo. Está na dúvida? Então veja os números:

Desde 2010 o governo investiu R$ 968 bilhões em educação, saúde e infraestrutura. E como a nova onda é a de somar, ainda foram investidos R$ 17,6 bilhões em toda a infraestrutura envolvendo a Copa.

Em educação, por exemplo,o governo entregou 1300 creches até o início desse ano e outras 3100 estão em construção. São 49 mil escolas com ensino de tempo integral e o objetivo é chegar a 60 mil até o fim do ano. Para aperfeiçoar o ensino, professores alfabetizadores estão sendo preparados para ajudar as crianças a chegar ao 8 anos de idade já sabendo ler e fazer as operações básicas de matemática.
Adicione a isso a retomada dos investimentos para o ensino técnico, com o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e ao Emprego (Pronatec). Sozinho e com pouco mais de dois anos de existência, recebeu R$ 14 bilhões de investimentos, opa… muito mais do que foi investido em todos os estádios da Copa (R$ 8 bilhões). Além disso, foram criadas novas escolas técnicas federais e novas universidades. Poderíamos até parar por aqui, mas tem muito mais. Com a criação do Sistema de Seleção Unificada, que oferece vagas de ensino superior com base nas notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), muito mais gente conseguiu conquistar um diploma. Isso sem contar os programas como o ProUni e o Ciência sem Fronteiras.
Assim como à educação, os investimentos em saúde têm várias frentes. Por exemplo, são 10.121 novas unidades de saúde(link is external), outras 8.506 estão sendo ampliadas e mais 8.349 reformadas, com investimentos que chegam a R$ 3,5 bilhões. Outro programa é a Rede Cegonha(link is external), que já atendeu 2,6 milhões de gestantes, em mais de 5 mil municípios. Lançado em 2011, tem o objetivo de oferecer às gestantes do Sistema Único de Saúde (SUS) um atendimento cada vez mais qualificado e humanizado. Para a aplicação, foram investidos inicialmente R$ 9,4 bilhões.
Tem ainda o Brasil Sorridente(link is external), que já beneficiou 80 milhões de pessoas em todo o país e é considerado o maior programa bucal do mundo, com mil Centros de Especialidades Odontológicas e 23.150 equipes de saúde bucal, que atendem inclusive nas Unidades Básicas de Saúde. Até o final de 2014, terão sido investidos R$  3,6 bilhões no programa. É claro, tem ainda o Mais Médicos(link is external), que levou 13.235 profissionais a 4040 municípios e também os investimentos em pesquisas(link is external) –  R$ 248,7 milhões para encontrar soluções inovadoras a serem aplicadas ao SUS.
Quanto a mobilidade urbana(link is external), foram investidos R$ 143 bilhões em 3.859 km de vias para transporte coletivo urbano, seja sobre trilhos, pneus ou corredores fluviais. A prioridade está em empreendimentos de transporte público coletivo, de alta e média capacidade e que atendam áreas com população de baixa renda.
A esses R$ 143 bilhões somam-se R$ 8 bi que envolvem 42 projetos do escopo Copa do Mundo. Eles garantiram 17 novos corredores e vias expressas, 5 novas estações e terminais de trens e metrôs, 13 BRTs e 2 VLTs, obras essenciais, ainda que o mundial não fosse no Brasil e que beneficiarão 62 milhões de pessoas.
Os aeroportos das cidades-sede e também de regiões turísticas próximas passaram por reforma, na maioria dos casos para ampliar a capacidade de passageiros e de taxiamento de pistas. O benefício desses R$ 6,3 bilhões investidos não serão restritos à Copa, muito pelo contrário, turistas, homens e mulheres de negócios, ou seja, qualquer pessoa que utilizar um aeroporto neste e nos próximos anos encontrará um ambiente mais confortável e agradável.

:

Equipe do marqueteiro João Santana produz peça publicitária para o PT que, no mínimo, pode ser considerada forte; personagens que representam famílias prósperas dos meios rural e urbano, todos da chamada nova classe média, se defrontam com suas próprias imagens em situações de fome, abandono e desemprego; fica a mensagem, para o PT, de que no presente estão os momentos felizes, enquanto os problemas são coisas de um passado “que não pode voltar”; não faltam personagens crianças e bebês de colo; ao final, locutor frisa: “Não dê ouvido às falsas promessas. O Brasil não quer voltar atrás”; polêmica aberta; vídeo

13 DE MAIO DE 2014 ÀS 19:10

 

247 – Jornalista, publicitário e marqueteiro do PT, João Santana parece estar em grande forma. Acaba de entrar no ar propaganda de um minuto do partido da presidente Dilma Rousseff e do ex-presidente Lula, com inserções em nível nacional, assinado pela equipe dele. No mínimo, faz pensar.

Intitulado ‘Fantasmas do passado’, o vídeo mostra, inicialmente, uma família do meio rural que avança por uma estrada com o pai dirigindo uma caminhonete. No percurso, ele cruza com outra família que vem na direção contrária, a pé, maltrapilha e com ar de profunda infelicidade. O detalhe que se torna o principal é: as pessoas que passam são as mesmas pessoas que estão no veículo, como se, no passado, a vida daquela família, hoje mais próspera, fosse a do pé no chão, expressão derrotada e, como indicam as circunstâncias, sem emprego.

Na cena seguinte, uma mulher negra, com um bebê no colo, seu próprio filho, compra medicamentos numa farmácia. Dá a entender que é uma loja da rede Farmácia Popular. Ao olhar para a rua, porém, a mulher enxerga a ela própria, porém descabelada, com o mesmo bebê no colo, mas como uma pedinte. Combina-se assim: se hoje essa personagem pode comprar remédios, a imagem dela mesma do lado de fora denuncia que no passado não tinha dinheiro nem para comer, quanto mais ter acesso a medicamentos.

Num terceiro momento, um senhora pega seu filho pré-adolescente na escola. Ambos entram em um carro mas, ao pararem num sinal de trânsito, agora é o mesmo menino que está dentro do carro que aparece, do lado de fora, se oferecendo para lavar o vidro do automóvel. A mensagem é: o estudante de uniforme de hoje foi o menino largado numa grande cidade de antes.

O texto, lido a partir da metade do vídeo de um minuto de duração, reforça, com todas as letras, a mensagem visual.

- Quando a gente dá um passo para a frente na vida, precisa saber preservar o que conquistou. Não podemos deixar que os fantasmas do passado voltem e levem tudo o que conseguimos com muito esforço. Nosso emprego de hoje não pode voltar a ser o desemprego de ontem, diz a narração.

E, com ênfase final, fica a recomendação do locutor ao espectador:

- Não dê ouvidos às falsas promessas. O Brasil não quer voltar atrás.

A assinatura se dá numa cena de chuva, outra vez num ambiente urbano, na qual um homem de gravata, demonstrando ter emprego, cruza com outro, novamente sua própria imagem – como um fantasma –, mas com as roupas puídas e um jornal amassado debaixo do braço, no retrato típico de quem está procurando trabalho – e não consegue.

Com a estrela do PT na parte alta inferior do vídeo, lê-se a frase final fixada na parte superior:

- Não podemos voltar atrás.

Tipos esteriotipados? Exageros comparativos? Realidade distorcida?

Todas essas perguntas podem ser respondidas com um sim por quem assistir ao vídeo do PT criado por Santana. Mas também é possível aquiescer que é a peça é emocionante.

O resultado prático das inserções poderá ser medido nas próximas pesquisas eleitorais. Até lá, fica a polêmica.

Assista:

 

 

O ministro da Secretaria Geral de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, Marcelo Neri, disse que o brasileiro médio teve um crescimento de 6,9% na mediana de sua renda, nos últimos 12 meses, o que reflete o crescimento observado no mercado de trabalho do País.


Na avaliação do ministro, os dados revelam que as pessoas de classes sociais menos favorecidas estão tendo um crescimento maior.

“Em suma o Brasil está ficando mais próspero e mais igual, menos desigual, então estas são as duas tendências mais fortes, a tendência a prosperidade, apesar de alguma desaceleração econômica, a renda do brasileiro continua crescendo, o mercado de trabalho, etc., e dois, os brasileiros de menor renda, sejam eles mulheres, afro-descendentes, pessoas que moram na periferia, que moram em cidades do nordeste, pessoas de baixa educação, etc., todos eles estão tendo um crescimento acima dos outros grupos tradicionalmente incluídos”, afirmou Neri

Os dados sobre crescimento da renda e queda da desigualdade social, apontados pelo ministro, fazem parte de pesquisa sobre o bem estar da população brasileira que foi apresentada para a presidenta Dilma Rousseff na tarde da última segunda-feira(5).

 

Lexômetro* do SPIN**

O “mensalão” não existiu

119- A obrigação do Senado de fiscalizar os ministros do Supremo
118- Globo recebeu “mensalão’ mas não deu em nada
117- Donos da Globo deveriam estar presos por “mensalão”
116- Globo perde audiência mas continua recebendo “mensalão”
115- Os depoimentos de dois detentos que “robustecem” o parecer de Janot
114- GGN: Por um café, duas frutas e uma visita, PGR endossa acusações do MP contra Dirceu
113- Nassif: Barbosa adia mais uma vez decisão sobre Dirceu
112- Miguel do Rosário: Crônica de uma perseguição continuada
111- Exceção: Barbosa prende Dirceu por mais tempo

110- Erundina e Jean Wyllys desmontam versão do PSDB sobre regalias a Dirceu
109- Sobre acusações contra Dirceu: Um julgamento meramente político

108- Da inocência de Zé Dirceu:  As provas de José Dirceu – 2
107- Os testes de hipóteses de Barbosa
106- A carta de um militante de pessoas com deficiência para Mara Gabrilli (PSDB-SP)
105- Filha de Dirceu relata “regalias” do pai
104- Antônio Lassance: Os “crimes” cometidos por Zé Dirceu: Ter sido ministro de Lula e o seu partido tinha “projeto de poder”
103- Advogado de Pizzolato se manifesta pela primeira vez
102- Gilmar Mendes entra de corpo e alma na campanha de Arrocho Neves e sobre o apagão moral de Gilmar Mendes  clique aqui: Milhões de reais surrupiados do TJ-BA

101- Kennedy Alencar: Desrespeito a Dirceu é uma ameaça a todos nós

100- Genoíno recorre ao Supremo para voltar a prisão domiciliar
99- Jean Wyllys, sobre a visita a Papuda: Dirceu não tem regalias
98- Carta da esposa de Pizzolato explica de forma clara e didática que o mensalão não existiu
97- Video: O mensalão não existiu, afirma o jornalista Raimundo Pereira

96- O tucano Azeredo burla o STF e livra de julgamento em foro privilegiado, o que foi negado na AP 470
95- Paulo Moreira Leite: A prisão de Genoíno no 1 de Maio
94- Miguel do Rosário: A luta que Genoíno nunca perdeu
93- Daniel Quiost: A favor da dosimetria do Lula
92- Cardiologista: Genoíno não conseguirá atingir o nível ideal  de anticoagulação na cadeia, o que pode ser fatal
91- As “forças-tarefas” do ministro-carcereiro Joaquim  Barbosa
90- Megacidadania: Sangue de Genoíno nas mãos do STF
89- Assessor do PPS é suspeito de ter feito vídeo de Dirceu na Papuda
88- Comissão investiga video contra Dirceu
87- Miguel do Rosário: O perfil dos médicos que entregaram a cabeça de Genoíno a Joaquim Barbosa
86- Genoíno preso mas médico só em 10 dias
85- Paulo Moreira Leite: Genoíno e a banalidade do mal
84- Sérgio Saraiva, no GGN: Relatório de avaliação médica de Genoino e a incerteza do nascer do sol
83- Tarso Genro: A segunda tortura de José Genoino
82- Antônio Lassance: Os 10 privilégios dos petistas presos

81- Azeredo conseguiu safar-se de julgamento no STF e, ao contrário do que ocorreu com petistas, teve direito a duplo grau de jurisdição,  mesmo se sabendo que o mensalão tucano usou e abusou de recursos públicos das estatais mineiras, como dizia minha avó, gente fina é outra coisa né

80- Pizzolato fala e se diz inocente

79- Eric Nepomuceno: Anotações de uma farsa(I)
78- Najla Passos, na Carta Maior sobre o chicaneiro Barbosa: Ágil para prender Genoino, mas lento para autorizar Dirceu a trabalhar
77- PHA sobre Genoino: “Eu devia voltar para ficar com o Zé”
76- Eduardo Guimarães: Visita deputados a Dirceu desmoralizou Legislativo, Judiciário e Imprensa
75- Leonardo Attuch: Lula errou: Julgamento do mensalão foi 100% político
74- Miruna Genoíno: Não rezem por meu pai, rezem para quem decide a desgraça alheia
73- Miguel do Rosário: As mentiras de O Globo para torturar um preso de 68 anos
72- PHA sobre o conservadorismo de Barbosa: Não se desespere: Jânio Quadros vem ai
71- Nogueira: Barbosa e a perseguição covarde a dois homens indefesos
70- Davis Senna: Lula fala e causa furor na Casa Grande
69- Oposição fez video de Dirceu na cela, o que é contra a CF
68-Sobre o médico que emitiu o suspeito laudo sobre a saúde de Genoíno
67-Duas horas ao sol, um privilégio
66-Barbosa determina que Genoino volte à Papuda
65- Barbosa mudou execução das penas no Brasil e arregimentou para si o poder de ser carcereiro dos presos do “mensalão’, com direito a marcá-los com números
64- Jean Willis: oposição partidarizou vistoria na Papuda
63- Comissão da Câmara não vê como regalia direito de Dirceu
62- Oposição vê “regalias’ na cela de Dirceu
61- Dallari: Pedido de quebra de sigilo é inconstitucional
60- Folha disponibiliza para celulares video com Zé Dirceu em cela na Papuda
59- Antônio Lassance: Barbosa não sabe o que é democracia
58- Inquérito 2474 foi justificado pelo MPF em 2006
57- PML: Lula, Barbosa e o Chacrinha
56- Paulo Nogueira: O STF desmoralizou o STF
56- Meme: Rosa Weber julgando Zé Dirceu e Collor, tanta diferença né
55- Charge: Ditadura midiático-penal desavergonhada
54- Miguel do Rosário: Videos exclusivos de Lula e mais uma bomba contra Joaquim Barbosa
53- A insustentável tese do julgamento técnico

  • Veja neste video: “Foi feito prá isso mesmo!”[aumentou a pena para evitar a prescrição](Joaquim Barbosa),,,se isso não for abuso de poder, crime e, portanto passível de punição,  parem o mundo que quero descer

52- Miruna Genoino contesta novo laudo médico
http://www.jornalggn.com.br/noticia/miruna-genoino-contesta-novo-laudo-medico
51- Kennedy Alencar, em seu blog:  Rigor do STF contra a corrupção só valeu para o PT e confirma o que Lula disse: O julgamento foi político


50- Ricardo Melo, na Folha: A judicialização da politica a serviço da direita
49- Ricardo Melo, via Blog do Zé Dirceu: Um importante alerta sobre o avanço da direita
48- Jornais omitem real contexto da fala de Lula sobre “mensalão”
47- Comprovado: Barbosa forjou condenações
46- O ponto fora da curva e o julgamento técnico do mensalão
44- Video:  Lula em entrevista à RTP, de Portugal: O mensalão não existiu e Lula disse que a questão não é se fulano ou sicrano é de confiança ou não e sim que o mensalão foi uma farsa.

45- Últimos links sobre arbitrariedade de Barbosa
GGN: O próximo ato de Joaquim Barbosa será o golpe da falta grave contra Dirceu
http://www.jornalggn.com.br/noticia/o-proximo-ato-de-joaquim-barbosa-sera-o-golpe-da-falta-grave-contra-dirceuJanot considerou “total descompasso” pedido de quebra de sigilo telefônico

FHC foi, inegavelmente, o governo mais corrupto da história do Brasil, quiçá da América Latina.
Mesmo com um currículo recheado de casos de corrupção  FHC não se cansa de ser hipócrita.
No artigo que escreveu nesse final de semana, diz FHC:
 
Eu, como boa parte dos leitores de jornal, nem aguento mais ler as notícias que entremeiam política com corrupção. É um sem-fim de escândalos. Algumas vezes, mesmo sem que haja indícios firmes, os nomes dos políticos aparecem enlameados. Pior, de tantos casos com provas veementes de envolvimento em “malfeitos”, basta citar alguém para que o leitor se convença de imediato de sua culpabilidade. A sociedade já não tem mais dúvidas: se há fumaça, há fogo.
É muita cara de pau!
FHC, além de ter sido o governo mais corrupto do Brasil, é filiado a um partido, o PSDB, que lidera casos de corrupção, e que teve, na última eleição para prefeito, o maior número de candidato barrado pela lei da Ficha Limpa.
Se você der uma olhada no Google e na Wikipédia vai ver escândalos de toda a sorte no governo do Príncipe da Privataria:Sudam, Sudene, compra da emenda da reeleição, as escandalosas privatizações, o esquema do PROER, do DNER, da Feira de Hannover, do escandaloso uso do Exército para proteger uma fazenda  sua comprada com recursos de caixa dois, Escândalo do Banestado, Caymman e tantos outros casos de corrupção.
O PSDB de FHC também não fica atrás. Lista de Furnas, Mensalão do PSDB, Trensalão, desvio de recursos da saúde em MG, as roubalheiras de Yeda Cruzes, Marconi Perilo, Cássio Cunha Lima, Cícero Lucena, Dante de Oliveira, Antero Paes de Barros, Andréa Matarazzo, José Aníbal, Robson Marinho, José Fegali neto, Esquema Paulo Preto.São tantos casos de corrupção nos governos tucanos que fica até difícil nominar todos.
Não obstante tudo isso, FHC ganha espaço em jornal para atacar o PT que, com todos os malfeitos, parece um partido de santo em se comparando com os tucanos.
Esse velho gagá tem mais é que enfiar o dedo na cloaca e parar de escrever merda.

 

:

“Não dá para um partido forte como o nosso ser refém do pensamento único ditado pelo monopólio da mídia”, diz o presidente do Partido dos Trabalhadores, Rui Falcão, em entrevista à Agência PT de Notícias, que começou a funcionar neste Primeiro de Maio

1 DE MAIO DE 2014 ÀS 19:04

247 - O Partido dos Trabalhadores lançou, neste Dia do Trabalho, a Agência PT de Notícias, que tem como um de seus objetivos combater as “mentiras da mídia”. Um dos textos destacados foi uma entrevista com o presidente do partido, Rui Falcão. Leia abaixo:

Com a realização, há duas semanas, do Camping Digital, em São Paulo, o PT demonstrou que pretende cada vez mais apostar nas mídias digitais. No centro dessa estratégia está a decisão da Executiva Nacional do partido em investir em treinamento de dirigentes e militantes, e não apenas para as eleições que se avizinham.

Em entrevista exclusiva à Agência PT de Notícias, o presidente do partido, Rui Falcão, que também é jornalista, garante que o uso ostensivo dessas novas mídias será uma forma de o PT também combater mentiras lançadas contra o governo e o partido. Falcão observa que, atualmente, a internet passou a ser um bem comum a quase todos os brasileiros, graças ao esforço do governo federal em tornar o Brasil um dos países mais conectados do mundo.

O presidente do PT aponta, ainda, a necessidade de se utilizar essa comunicação de rede durante as eleições de outubro. Uma forma, segundo ele, de esclarecer e defender os projetos do partido e dar visibilidade às ações do governo federal.

AGÊNCIA PT – Nos últimos anos, o PT vem investindo em novas formas de comunicação, como a criação, agora, da Agência PT. Isso demonstra que o partido pretende mudar as estratégias de atuação no setor?

RUI FALCÃO – Assumimos que a questão da comunicação será uma das prioridades do partido para fazermos frente a avalanche de mentiras assacadas diariamente contra nós. Só investindo pesado em novas formas de comunicar nós conseguiremos debelar essa investida cruel.

AGPT – O partido está mobilizando sua militância para aderir às novas mídias. Um exemplo disso foi o Camping Digital, realizado no interior de São Paulo. Qual o objetivo de implantar os meios digitais? Trata-se de modernizar a relação com a militância?

RUI – O Brasil vem se tornando um dos países mais conectados do mundo. Isso é fruto de investimentos maciços do governo federal e da melhoria da renda do trabalhador. Temos observado o crescimento avassalador das redes sociais e, como somos um partido de militantes e muitos deles conectados nas redes, apoiamos sempre as iniciativas que visam integrar os petistas. O Camping Digital foi uma bela iniciativa que veio para somar.

AGPT – Assim como tem sido feito na página oficial do PT no Facebook, existe uma demanda permanente em esclarecer boatos e mentiras a respeito dos mais diversos assuntos ligados ao partido. Os meios digitais podem ajudar na defesa do PT contra ataques nas redes sociais e na mídia?

RUI – Sem dúvida. Com a capilaridade adquirida pelos meios digitais do PT, nenhuma mentira, invenção, boato ou calúnia fica sem resposta imediata. Hoje, dialogamos em tempo real com centenas de milhares de petistas e simpatizantes, coisa que há tempos passados não conseguíamos.

AGPT – Como a militância do PT deve atuar no mundo digital a favor do partido?

RUI – Sempre de cabeça erguida e sem máscaras. Temos um legado de lutas e conquistas junto à população brasileira, notadamente com os que foram excluídos ao longo da história. Nossa militância se orgulha do PT e o defende de cara limpa.

AGPT – Há intenção de aumentar o ativismo digital dentro do PT?

RUI - Nossa página no Facebook e nosso Twitter são os que detêm a maior interação com os internautas entre todos os partidos políticos brasileiros. Nossa meta é continuar crescendo, inclusive para atingir aquela parte da população que normalmente não participa das discussões políticas, mas é bombardeada com mentiras, cotidianamente.

AGPT – A democratização da informação e a regulação da mídia estão na pauta do PT?

RUI – O PT sempre lutou e continuará lutando por uma verdadeira democratização da comunicação no Brasil. Achamos que essa questão, mais dia ou menos, dia será regulamentada no País.

AGPT – Como o PT pretende atuar nas redes sociais durante a campanha eleitoral, a partir de julho?

RUI – Divulgando as ações do governo federal, que são inúmeras, e dos governos estaduais e municipais do partido. Vamos estimular a militância a ir para as ruas e para as redes defender nosso projeto político.

AGPT – Qual é o principal reflexo que se espera com o novo portal e com a Agência PT para a gestão da comunicação do partido?

RUI – Que a Agência PT produza pautas que mostrem o outro lado da notícia. Não dá para um partido forte como o nosso ser refém do pensamento único ditado pelo monopólio da mídia.

AGPT – Do ponto de vista político, qual a estratégia do PT para dialogar melhor com os jovens durante a campanha?

RUI – O trabalho com a juventude sempre será prioridade para nós. Temos a convicção na vitória da nossa companheira Dilma e sabemos que a juventude terá um papel preponderante nesta campanha eleitoral.

AGPT – Existe algum projeto para aumentar o número de candidatos petistas com menos de 30 anos e atrair filiados nessa faixa etária?

RUI – Estamos elaborando junto com a Juventude do PT uma campanha de filiação voltada para os jovens, assim como estamos apoiando firmemente o alistamento eleitoral dos jovens de 16 anos.

AGPT – E as mulheres? Hoje elas ocupam apenas a cota mínima de candidatas. O que fazer para mudar esse quadro e, de fato, inseri-las na política, com iguais condições de competir com os homens?

RUI – O nosso partido sempre esteve na vanguarda das lutas das mulheres. Somos o único partido político que aplica a paridade de gênero em todos os níveis de direção. Na nossa proposta de reforma política, defendemos que na lista fechada a ser votada haja paridade entre homens e mulheres. Só assim conseguiremos equilibrar a participação das mulheres no Parlamento, hoje em número bastante reduzido.

Por Edson Luiz e Flávia Umpierre, da Agência PT de Notícias

 
A 50 dias de a bola rolar para Brasil x Croácia, na primeira das 64 partidas da Copa do Mundo, o Portal da Copa reuniu uma série de informações que detalham os investimentos feitos em várias frentes para o Brasil receber o Mundial. Investimentos que transcendem, e muito, a construção e reforma das 12 arenas. Envolvem infraestrutura turística, aeroportos, mobilidade urbana, terminais de passageiros em portos e estrutura em segurança que ficará para as cidades-sede. Também incluem qualificação profissional, incentivo ao voluntariado e promoção do artesanato e de eventos culturais com valorização da cultura nacional. Em outra frente, mexe com a economia, antecipa investimentos em telecomunicações, gera empregos em diversos setores e implementa novos padrões de sustentabilidade em obras. Confira:
1. Mais turistas
A Copa aumenta a visibilidade do Brasil e atrai milhares de turistas estrangeiros.
2. Mais turistas gastando mais
Estudo da Embratur mostra que os gastos dos turistas brasileiros e estrangeiros durante a Copa devem chegar a R$ 25,2 bilhões em todo país.
3. Mais estrutura para os turistas
R$ 196 milhões estão sendo investidos em infraestrutura turísticas nas cidades-sede: novos Centros de Atendimento ao Turista, mais sinalização e acessibilidade que ficarão para o país.
4. Mais infraestrutura
A Copa antecipa investimentos em infraestrutura necessários para o Brasil.
5. Melhorias no país
Os investimentos são em mobilidade urbana, portos, aeroportos, estádios, segurança, telecomunicações e turismo.
 

6. Investimentos
R$ 25,6 bilhões é o total de investimentos nas cidades-sede da Copa, detalhados na Matriz de Responsabilidades.

7. A Copa é do Brasil
As 12 sedes estão espalhadas nas cinco regiões do país.
8. Estádios financiados
Não há dinheiro do orçamento da União nos estádios. Eles foram erguidos com financiamento do BNDES, recursos locais e recursos da iniciativa privada e somam R$ 8 bilhões. O valor será pago de volta ao banco.
9. Saúde e educação
A Copa do Mundo não retirou nenhuma verba dos orçamentos da Saúde e da Educação – ambos aumentam a cada ano.
10. Arenas sustentáveis e seguras
Os 12 estádios da Copa são mais modernos e sustentáveis, e trazem conforto e segurança para os torcedores.
11. Transporte coletivo
São 45 obras de mobilidade urbana que priorizam o transporte coletivo e representam investimento de R$ 8 bilhões. Algumas ficarão prontas depois da Copa do Mundo.
12. Mais transporteOs projetos de mobilidade urbana para a Copa incluem corredores e vias para ônibus, Veículos Leves sobre Trilhos (VLTs), projetos de Bus Rapid Transit (BRTs), estações, terminais e Centrais de Controle de Tráfego.

13. Portos
O investimento em portos é de R$ 587 milhões nas cidades-sede de Fortaleza, Natal, Recife, Salvador e Manaus, além de uma obra em Santos (SP).
14. Aeroportos mais modernos
Os 21 empreendimentos de reforma e construção de terminais aumentarão em 81% a capacidade de recepção de passageiros nas sedes da Copa do Mundo. Isso fica para o Brasil.
15. Investimentos em aeroportos
O investimento nos aeroportos é de R$ 6,28 bilhões, sendo R$ 3,62 bilhões de recursos privados.
16. Brasil em evidência
Um total de 90 aeroportos serão usados na Copa para o deslocamento de delegações, autoridades e público em geral.
17. Reforço na malha aérea
A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) autorizou 1.973 novos voos entre 6 de junho e 20 de julho.
18. Mais voos, mais vagas
A oferta de assentos nos aviões para o período da Copa é 11,5 milhões.
19. Melhorias em telecomunicações
O Brasil está investindo R$ 404 milhões em telecomunicações para a Copa, sendo R$ 233 milhões da Telebras e R$ 171 milhões da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).
20. Tecnologia 4G
A tecnologia móvel 4G, até 10 vezes mais rápida que a atual, já é uma realidade nas 12 cidades-sede.
21. Mais segurança
O investimento em segurança pública no país para a Copa é de R$ 1,9 bilhão.
22. Legado em segurança
Os Centros Integrados de Comando e Controle (12 regionais e 2 nacionais) são um dos grandes legados de segurança para o país.
23. Trabalho voluntário
Até 18 mil participantes do programa Brasil Voluntários do governo federal darão suporte aos torcedores nos pontos principais de movimentação das cidades-sede. Eles receberão certificados da Universidade de Brasília, valorizarão seus currículos e enriquecerão suas experiências pessoais.
24. Empregos
A Copa deve gerar cerca de 710 mil empregos permanentes e temporários.
25. Retorno de investimento
Pesquisa da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) e do Ministério do Turismo mostrou que somente a Copa das Confederações acrescentou R$ 9,7 bilhões ao PIB brasileiro.
26. Acréscimo ao PIB
A expectativa é de que a Copa gere quase R$ 30 bilhões de acréscimo ao PIB Brasileiro (Fonte: Pesquisa Mtur/Fipe).
27. Mais cultura
O investimento na revitalização de museus e de outros equipamentos culturais das cidades-sede é de mais de R$ 50 milhões.
28. Diversidade cultural
O concurso Cultura 2014 abriu espaço para a contratação de 1,2 mil apresentações para reforçar a programação cultural nas cidades-sede.
29. Mais artesanato
O artesanato também terá destaque na Copa com o projeto Vitrines Culturais, que está selecionando 60 mil peças para venda durante o Mundial.
30. Arenas multiuso
As arenas da Copa são multiuso. Além do futebol, recebem shows, congressos e diversos outros eventos.
31. Copa além das 12 sedes
Os Centros de Treinamento escolhidos pelas 32 seleções estão localizados em 27 cidades.
32. Oportunidades
Cerca de R$ 100 milhões já foram gerados em negócios para micro e pequenas empresas por oportunidades ligadas à Copa.
33. Mais exportações
A Agência Brasileira de Promoção de Exportação e Investimentos (Apex-Brasil) atingiu US$ 1,8 bilhão em negócios no Projeto Copa somente durante a Copa das Confederações.
34. Capacitação
Cerca de 10 mil profissionais de saúde foram capacitados para atuar na Copa do Mundo ao longo dos últimos três anos.
35. Saúde
As 12 sedes possuem, ao todo, 531 unidades do (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), 66 Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e 67 hospitais para atender a população local e os turistas durante o Mundial.
36. Torcida em peso
2,57 milhões de ingressos da Copa foram alocados para torcedores brasileiros e estrangeiros até o dia 1º de abril.
37. Recorde de solicitações
A Copa do Mundo no Brasil teve um recorde de solicitações de ingressos. Foram 11 milhões de pedidos.
38. Mais hotéis
R$ 1,03 bilhão foi o valor destinado para a construção ou reforma de hotéis em cidades-sede e redondezas pela linha de financiamento ProCopa Turismo do BNDES.
39. Sustentabilidade
O lixo sólido produzido nos 12 estádios da competição será coletado e encaminhado para reciclagem em cooperativas.
40. Preços justos
Um comitê interministerial foi criado para discutir e fiscalizar tarifas de passagens e hotéis durante o torneio.
41. Transparência
As obras da Copa são fiscalizadas por órgãos de controle regionais e federais, como o Tribunal de Contas da União (TCU) e os tribunais estaduais.
42. Qualificação profissional
166 mil pessoas foram matriculadas em cursos de qualificação do Pronatec Turismo, ultrapassando a meta de 157 mil vagas até a Copa do Mundo.
43. Qualificação turística
O Pronatec Turismo ofereceu 54 cursos de idiomas e profissionalizantes ligados ao setor de turismo em 120 cidades.
44. Integração 
A Copa está sendo planejada de forma integrada. Comitê Organizador Local, governos federal e estadual e prefeituras atuam em conjunto na preparação do evento.
45. O mundo de olho no Brasil
Aproximadamente 18 mil jornalistas estão credenciados para a cobertura da Copa. Mais um recorde do Mundial do Brasil.
46. O Brasil campeão
A final da Copa das Confederações atraiu a maior audiência em esportes da TV Brasileira, com cerca de 42 milhões de pessoas sintonizadas.
47. Lembranças da Copa
O Banco Central do Brasil lançou nove modelos de moedas oficiais comemorativas do Mundial, com tiragem de 165 mil exemplares.
48. Selos comemorativos
Os Correios colocaram em circulação 12 selos que retratam as cidades-sede, com tiragem de 600 mil exemplares.
49. Experiência para a vida toda
Cerca de 700 adolescentes terão a oportunidade de vivenciar os jogos da Copa como gandulas.
50. Segurança das fronteiras
A Operação Ágata fará ações de segurança nos quase 17 mil quilômetros de fronteiras brasileiras com os países sul-americanos. Serão mais de 33 mil militares.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...